2021-1-02

NEGÓCIOS

Quidgest vai formar 250 pessoas em engenharia de software

A Quidgest pretende formar 250 pessoas em engenharia de software durante 2021 com uma formação exigente, mas de curta duração e de aplicação perdurável

A Quidgest vai reforçar o conhecimento nacional em engenharia de software ao formar mais 250 pessoas durante 2021. A missão da Academia da tecnológica é diminuir o défice de profissionais qualificados em engenharia de software em Portugal, requalificar talento e dotar as empresas de tecnologias duradouras e híper-ágeis que permitam um ajuste eficaz às necessidades dos seus públicos-alvo e a rápida criação de novos produtos e serviços. 

Os conceitos e competências que giram em torno do Genio, plataforma de geração automática de código assente em modelação e inteligência artificial, serão o foco das formações, que podem começar em apenas 40 horas (nível um), mas que se podem estender até às 120 horas (nível três), dependendo do perfil e dos objetivos dos formandos. 

O nível um já habilita os formandos com sucesso a serem full stack developers. Devido à natureza da plataforma, os utilizadores da plataforma Genio conseguirão desenvolver software através da modelação e não do código manual, uma característica que lhes permite ser 100 vezes mais rápidos que os programadores comuns. Igualmente importante referir que ficam aptos para conceber os sistemas que movem organizações e sociedades e dotados de conhecimento à prova das incertezas do futuro.

A iniciativa da Quidgest destina-se, assim, a vários grupos-alvo, entre eles: empresários, gestores ou potenciais empreendedores que queiram desenvolver os seus próprios negócios de forma audaz e sem dependência de conhecimento de terceiros, pessoas que tenham visto as suas funções reduzidas nos últimos meses e queiram iniciar uma nova carreira a desenvolver tecnologia e colaboradores e líderes de empresas que desejam desenvolver as suas próprias soluções de base tecnológica de forma rápida e eficiente.

Após o curso intensivo, os formandos contarão com três principais oportunidades de emprego: trabalhar para as várias áreas de negócio da Quidgest a desenvolver tecnologia, para um dos clientes e parceiros do ecossistema Genio, que vão desde consultoras internacionais a organismos públicos, ou a desenvolver os próprios negócios e contar com o apoio da Quidgest.

Os últimos meses comprovaram duas necessidades: a importância de as empresas terem soluções de base digital ágeis e a relevância de requalificarmos pessoas para áreas de trabalho mais estáveis”, salienta Sara Inácio, Innovation Manager da Quidgest e responsável pela Quidgest Academy. “Vamos ao encontro destas duas necessidades com esta formação, ao mesmo tempo que impulsionamos os gestores e aspirantes a empreendedores a criarem os seus próprios negócios e a gerarem emprego”, acrescenta.

Não é necessário ter formação prévia na área da tecnologia, mas conhecimentos de gestão de base de dados e programação facilitarão a consolidação de conhecimentos. Acrescente-se, ainda, a importância de os formandos serem resilientes, procurarem estarem em constante crescimento e terem vontade de superar novos desafios.

Recomendado pelos leitores

Confinamento: TIC escapam ao lockdown - Atualizado
NEGÓCIOS

Confinamento: TIC escapam ao lockdown - Atualizado

LER MAIS

Atos em negociações para adquirir DXC Technology
NEGÓCIOS

Atos em negociações para adquirir DXC Technology

LER MAIS

Pontual cria roadmap de transformação digital para apoiar escritório de contabilidade
NEGÓCIOS

Pontual cria roadmap de transformação digital para apoiar escritório de contabilidade

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 73 DEZEMBRO 2020

IT CHANNEL Nº 73 DEZEMBRO 2020

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.