2021-11-10

EVENTOS

Windows 11 já chegou

Num evento organizado pela Microsoft e pelo IT Channel, com o apoio da CPCdi, da JP.DI e da Tech Data, os Parceiros de Canal ficaram a conhecer o novo sistema operativo da Microsoft e como é que podem tirar o melhor partido para ajudar os seus clientes e terem uma maior fonte de receita

Com o apoio da CPCdi, da JP.DI e da Tech Data, a Microsoft e o IT Chanel realizaram um evento no dia 28 de outubro para apresentar aos Parceiros nacionais o Windows 11, o mais recente sistema operativo da Microsoft, lançado seis anos depois do Windows 10.

Ainda que a Microsoft tenha mantido atualizações constantes ao longo dos últimos anos no Windows 10, a dependência da colaboração e de cibersegurança levou a Microsoft a apostar num novo sistema operativo, lançado a 5 de outubro de 2021.

A colaboração é, hoje, um ponto em cima da mesa de qualquer organização. Os colaboradores não trabalham em silos fechados e é preciso comunicar com colaboradores que, agora, podem estar literalmente em qualquer parte do mundo. Ferramentas de colaboração, como o Microsoft Teams, são hoje uma necessidade para qualquer organização moderna e o Windows 11 coloca a colaboração como tema principal da experiência de utilização.

Simultaneamente, também a segurança é cada vez mais importante para as organizações e a Microsoft afirma que este é “o Windows mais seguro até hoje” e está preparado para uma abordagem zero trust para proteger os dados e os acessos em qualquer lugar, para além de contar com segurança incorporada que inclui isolamento baseado em hardware, encriptação e proteção contra malware. É possível aplicar facilmente segurança sem palavras-passe com o Windows Hello for Business melhorado. Já a segurança zero trust combina atributos de dispositivos seguros, com autenticação por multifator para proteção dos dados e identidade corporativa.

Novas funcionalidades

Um novo sistema operativo traz, naturalmente, novas funcionalidades que os utilizadores – seja num contexto profissional ou pessoal – podem aproveitar. O Windows 11 traz, por exemplo, uma interface de utilização mais simples e intuitiva, desktops personalizáveis e uma nova loja de aplicações, entre muitas outras.

O Windows 11 foi concebido para o trabalho híbrido e a Microsoft procurou que fosse de fácil utilização. A UX do Windows 11 procura reduzir a carga cognitiva dos colaboradores com uma interface simplificada, intuitiva e organizada com novas funcionalidades.

Ao mesmo tempo, a UX é simples, mas poderosa, para melhorar a produtividade e o foco dos colaboradores, incluindo uma forma mais inteligente de colaborar com a integração do Microsoft Teams.

No caso dos desktops personalizáveis, o Snap Layout é uma das ferramentas do novo Windows 11 que procura ajudar os utilizadores a serem mais produtivos. Diz a Microsoft que, com um simples toque, o utilizador pode escolher onde é que quer que uma determinada janela apareça no ecrã e, até, quantas é que vão ser apresentadas.

Também é possível criar desktops virtuais para abrir determinadas aplicações, dependendo daquilo que o utilizador está a fazer, focando os ambientes de trabalho para temas específicos, onde o utilizador inclui sites ou aplicações que abordam o tema.

A nova loja de aplicações traz os programas e aplicações que o utilizador precisa através de um simples toque. A Microsoft Store é o local para não só obter as aplicações mais populares e favoritas dos utilizadores, mas também para descobrir outras que, de outro modo, nunca iria ficar a conhecer.

Uma das novidades com o Windows 11 será, em breve, também ter a possibilidade de instalar todas as aplicações disponíveis para o sistema operativo móvel Android, disponíveis na Amazon Store, fruto de uma Parceria entre a Microsoft e a Amazon.

Parceiros e rentabilização do negócio

Mauro Bastos, Microsoft Device Partner Channel Executive Iberia, explicou, durante o live event, que sabe “o quão difícil é trabalhar enquanto Parceiro” e deixou como sugestão para o Canal “utilizar o Windows 11 como uma porta de entrada” na abordagem aos clientes.

“Podem usar tudo o que comunicámos e levar este novo discurso aos vossos clientes, mas, não só: o Windows 11 consegue trazer uma receita transacional – de uma venda ou de um upgrade de um produto –, mas isso é finito. Enquanto Parceiro, não vale a pena criar produtos no vosso portfólio com avenças mensais, de gestão de parque informático com o AutoPilot [da Microsoft] e gerir esse parque?”, sugere Mauro Bastos.

O representante da Microsoft acredita que “o nosso cliente, hoje, tem uma necessidade real de ter atenção ao negócio dele; ele não quer estar preocupado com o IT, não pode estar preocupado, não tem tempo para isso. Acho que o Windows 11 acaba por ser uma ferramenta muito interessante de gestão de parque informático. O AutoPilot e todas as suas funcionalidades – seja a entrega de imagens, seja a gestão do dispositivo propriamente dito – devem ser olhadas com atenção pelos Parceiros para criarem um serviço adicional, uma receita recorrente, com avença mensal, de gestão de parque informático utilizando o Windows 11”. Simultaneamente, a parte de segurança, “com todos os investimentos que a Microsoft tem feito nos últimos anos”, pode ser aproveitada pelos Parceiros para oferecerem um novo serviço junto dos seus clientes.

Mauro Bastos especifica que este é um sistema operativo “robusto e seguro”. Neste sentido, “será que não vale a pena [os Parceiros] criarem um serviço de segurança de informação que leia informações de Windows 11 e ajude os vossos clientes a estarem mais protegidos em relação a vulnerabilidades e a problemas da segurança da informação de uma maneira geral? É pensar no Windows 11 não somente na venda transacional pura e dura, mas com um serviço de valor acrescentado que pode ser fruto de um novo produto no vosso portfólio”.

Consistência do sistema operativo

Por seu lado, um dos pontos que Carlos Bento, Microsoft Design-in Strategist para a Western Europe, abordou foi a consistência do sistema operativo e das aplicações e como é que isso facilita a vida de quem faz a gestão do IT das organizações, serviço que pode ser oferecido pelos Parceiros aos seus clientes.

“O Windows 11, como novo sistema operativo, oferece várias funcionalidades que contribuem para o aumento da produtividade e para a redução do esforço cognitivo”, explica Carlos Bento. “Isto representa algo que os colaboradores ou administradores das empresas querem imediatamente adotar e torna-se numa prioridade para as empresas”.

“No entanto, para os administradores de IT, esta mudança de sistema operativo representa muitas dúvidas, até porque precisam de se preocupar com a gestão e a segurança dos equipamentos que são utilizados por diversos tipos de perfis de colaboradores na empresa que usam aplicações diferentes e tudo tem de funcionar de forma consistente”, refere o Design-in Strategist para a Western Europe.

A Microsoft garante que “este sistema operativo foi construído com as mesmas fundações do Windows 10 e, do ponto de vista de consistência ou compatibilidade, vai garantir que as aplicações que já estavam a correr no Windows 10 são compatíveis com o Windows 11, que as ferramentas que utilizam para gerir o seu parque informático – como o Microsoft Endpoint Manager ou o Configuration Manager – também são compatíveis” com o novo sistema operativo.

Estas ferramentas, assim como o Autopilot, podem ser utilizados pelos administradores de IT que trabalham remotamente. Carlos Bento especifica que é possível “aplicar remotamente políticas de segurança e de privacidade a todas as máquinas utilizadas pelos colaboradores das empresas, assim como aprovisionar aplicações remotamente; não é necessário ter os computadores todos dentro da empresa, num local físico, para aprovisionar esses computadores”. A Microsoft refere que existe, atualmente, uma “compatibilidade acima dos 99%” para as aplicações existentes no Windows 10 e que funcionam no Windows 11, o que significa que “as empresas devem-se sentir confiantes para esta migração para o Windows 11”.

De qualquer maneira, os equipamentos Windows Pro têm a capacidade de downgrade para o Windows 10, o que significa que é possível fazer a atualização e, caso seja necessário, voltar ao sistema operativo anterior.

Ferramentas de apoio

A Microsoft e o IT Channel desenvolveram um micro site dedicado ao Windows 11 e ao seu papel junto dos Parceiros nacionais.

Neste site, é possível, por exemplo, descarregar a ferramenta criada pela Microsoft e que permite perceber se o computador é compatível com o Windows 11 e, também, descarregar o Windows 11, no caso de o utilizador não querer esperar pela notificação automática de atualização.

Por fim, também é possível fazer o download da apresentação da Microsoft dedicada ao Windows 11 e ver o vídeo do live event realizado pela Microsoft e o IT Channel, com o apoio da CPCdi, da JP.DI e da Tech Data.

TAGS

Windows 11

Recomendado pelos leitores

IBM premeia Parceiros portugueses
EVENTOS

IBM premeia Parceiros portugueses

LER MAIS

Sophos tem “objetivo claríssimo” para o mercado português
EVENTOS

Sophos tem “objetivo claríssimo” para o mercado português

LER MAIS

Sophos prevê panorama de ciberameaças para 2022
EVENTOS

Sophos prevê panorama de ciberameaças para 2022

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 83 DEZEMBRO 2021

IT CHANNEL Nº 83 DEZEMBRO 2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.