2020-10-30

CLOUD

Pandemia aumenta consumo de cloud no terceiro trimestre de 2020

Os gastos com tecnologia permanecem robustos, apesar da desaceleração económica global e a cloud continuará a ser vital para sustentar operações comerciais, trabalho remoto e aprendizagem, bem como o envolvimento com clientes

Os serviços de infraestruturas em cloud gastos no terceiro trimestre de 2020 continuaram a beneficiar das consequências da pandemia COVID-19. O mercado mundial de cloud cresceu  33% em relação ao trimestre anterior, de acordo com os dados do Canalys.

A dependência de ferramentas e serviços baseados na cloud manteve-se elevada em todos os sectores da economia, incluindo governos, empresas e consumidores, à medida que persistiam medidas de distanciamento social. O regresso de medidas de bloqueio mais rigorosas  nos próximos meses significa que a cloud continuará a ser vital para sustentar operações comerciais, trabalho remoto e aprendizagem, bem como envolvimento com os clientes. 

A Amazon Web Services foi a principal fornecedora de serviços em cloud no 3º trimestre de 2020, aumentando a sua quota de gasto total do último trimestre para 32%. O seu negócio cresceu em 2,6 mil milhões de euros no terceiro trimestre em comparação com o mesmo período do ano passado, continuando assim a sua expansão. Em termos globais, a AWS gerou mais receitas do que os três maiores fornecedores de serviços de cloud em conjunto. 

A Microsoft iniciou o seu novo ano fiscal com mais um forte desempenho no seu negócio Azure, crescendo 48% anualmente para atingir uma quota de mercado de 19%, aumento este que se  deve a uma quota de 17% no 3º trimestre de 2019. A Microsoft consegui assim um aumento dos contratos de longo prazo, destacando o crescente empenho entre os seus maiores clientes à medida que migram cargas de trabalho crítico para a Azure. 

O Google Cloud manteve o seu ímpeto, particularmente em torno das suas seis indústrias visadas. O seu negócio empresarial acelerou, uma vez que se foca no aumento do envolvimento dos canais em negócios, bem como na capacitação de parceiros. O Google Cloud manteve a sua posição como o terceiro maior fornecedor de serviços em nuvem com uma quota de 7%.

A Alibaba Cloud continuou a liderar o mercado chinês, onde a computação em cloud é uma parte fundamental dos planos de desenvolvimento do governo. É também o líder global na região da Ásia-Pacífico, representando 6% do mercado mundial. 

Os gastos com tecnologia permanecem robustos apesar da desaceleração económica global, principalmente para produtos e serviços que permitem a continuidade do negócio, incluindo computadores portáteis e periféricos, serviços baseados na cloud e cibersegurança.

As experiências adquiridas pelas organizações durante o primeiro bloqueio sublinharam a necessidade de aumentar a resiliência e agilidade dos negócios.

"O aumento do consumo impulsionou os serviços de infraestruturas em cloud a gastar este ano, embora alguns negócios maiores e mais complexos tenham sido adiados devido à incerteza causada pela pandemia", afirma o analista-chefe do Canalys, Matthew Ball. "À medida que as organizações se adaptam ao novo normal, estes projetos de longo prazo estão novamente a acelerar. Algumas organizações estão a tomar uma abordagem orientada para os custos, reduzindo as despesas de capital nos seus próprios centros de dados e reduzindo os custos de gestão dos contratos de outsourcing. Outros estão a ter uma abordagem transformadora, desenvolvendo novas aplicações nativas da cloud e modelos de negócio, mas todos eles terão de ser mais conscientes dos custos, exigindo um maior controlo e visibilidade do gasto, ao mesmo tempo que decidem não migrar todas as cargas de trabalho".

As IT multicloud e híbridas continuarão a ganhar impulso à medida que as organizações avaliam o modelo ideal de implementação e funcionamento para cada carga de trabalho, com base no custo e desempenho. Isto incluirá borda móvel incorporando 5G para aplicações existentes e novas que requerem latência ultra-baixa.

"A convergência da nuvem e do 5G na borda móvel formará a próxima onda de crescimento para os principais fornecedores de serviços de nuvem", explica Blake Murray, analista da Investigação de Canalys, o que na sua opinião representa também uma nova frente para a construção de infraestruturas e concorrência entre a AWS com o Wavelength, o Microsoft Azure com Edge Zones e o Google Cloud com o Mobile Edge Cloud.

"Os três estão a colaborar com operadores móveis para implantar as suas pilhas de cloud na borda dos centros de dados dos operadores. Estas fazem parte de iniciativas holísticas para lucrar com os serviços 5G entre os clientes empresariais, bem como transformar a infraestrutura de IT dos operadores móveis", conclui.

Recomendado pelos leitores

Assista à mesa redonda do IT Channel sobre cloud híbrida e multicloud
CLOUD

Assista à mesa redonda do IT Channel sobre cloud híbrida e multicloud

LER MAIS

Computação em nuvem está a tornar-se no
CLOUD

Computação em nuvem está a tornar-se no "novo normal"

LER MAIS

Gastos globais em cloud aumentam 33% no 3º trimestre
CLOUD

Gastos globais em cloud aumentam 33% no 3º trimestre

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 72 NOVEMBRO 2020

IT CHANNEL Nº 72 NOVEMBRO 2020

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.