Rui Damião em 2020-3-10

NEGÓCIOS

Análise

O impacto do COVID-19 na indústria de IT

O Mobile World Congress foi o evento de tecnologia mais sonante a ser cancelado pelo COVID-19, mais conhecido por Coronavírus. No entanto, o impacto na indústria de IT não irá ficar apenas por eventos cancelados

É impossível prever com exatidão qual será o impacto do COVID-19 (Coronavírus) em todo o mundo, nas populações e nos negócios, mas é de esperar alguma perturbação.

As empresas têm aconselhado os seus colaboradores a evitar viagens para zonas com um grande número de casos ou, caso seja impossível evitar, fazer as viagens estritamente necessárias. Muitas empresas têm optado pelo teletrabalho para que, no caso de um colaborador ser portador do vírus, não correr o risco de contaminar o resto da equipa.

O Mobile World Congress foi o primeiro dos grandes eventos tecnológicos a ser cancelado, mas várias outras empresas e organizações decidiram cancelar ou adiar os seus eventos para proteger os participantes, os clientes e os Parceiros, para além dos próprios executivos.

Previsões revistas

As várias empresas de análise de mercado estão a rever as estimativas de vendas de vários segmentos dentro do IT, como smartwatches, smartphones e computadores portáteis.

Esta revisão das previsões deveu-se a vários fatores, entre eles o facto de a larga maioria dos produtos serem produzidos em parte ou na integra na China, país que, por precaução, encerrou vários negócios.

A TrendForce reviu o número de unidades expedidas de vários segmentos de tecnologia de consumo, como smartwatches, smartphones, monitores e notebooks. A diferença entre a previsão inicial e a mais recente, que já conta com o impacto do COVID-19, chega aos 16%.

No caso dos smartwatches, a TrendForce prevê que sejam vendidos apenas 12,1 milhões de unidades no primeiro trimestre, em vez das 14,4 milhões de unidades previstas inicialmente.

Nos monitores, a previsão desce 5,2% das 29 milhões de unidades vendidas para 27,5 milhões, e nas consolas de videojogos o decréscimo é de 10,1%, prevendo- se agora vender 6,2 milhões de unidades, menos 700 mil unidades do que inicialmente previsto.

Já no caso dos smartphones, a TrendForce previu o número de unidades produzidas e não vendidas. A previsão inicial era que seriam produzidas 307 milhões de unidades, mas, agora, com o impacto do Coronavírus, deverão ser produzidas apenas 275 milhões de unidades.

Impacto nos Parceiros

É difícil ter números concretos sobre o impacto que o COVID-19 terá no Canal de Parceiros de IT, mas acredita-se que as vendas vão diminuir. O impacto mais visível é uma potencial disrupção de stocks em alguns tipos de produtos.

A Canalys estima que, na China, o mercado de smartphones vá sofrer um decréscimo de 40% em relação ao ano anterior, não só pela procura dos consumidores locais, como também a produção (e o seu efeito) nos mercados mundiais.

Na última semana de fevereiro, a Canalys atualizou a sua perspetiva para o mercado mundial de PC. A organização apresentou dois cenários – o melhor e o pior – que representa o nível de impacto mínimo e máximo que o COVID-19 vai ter no mercado.

A grande diferença entre os dois cenários é o período de tempo necessário para que as operações tradicionais voltem ao normal na China. A Canalys tem “80% de certeza” de que “o melhor cenário vai prevalecer”.

No melhor cenário possível, os níveis de produção voltam a estar na sua capacidade máxima em abril de 2020. O maior impacto será nas vendas nos dois primeiros trimestres, com o mercado a recuperar nos terceiro e quatro trimestres.

Deste modo, espera-se que as vendas mundiais de PC diminuam 3,4% em comparação com todo o ano de 2019, com o primeiro trimestre de 2020 a diminuir 10% e o segundo trimestre 9%, em comparação com os mesmos períodos do ano transato.

No pior cenário, não se espera que os níveis de produção voltem ao normal até junho de 2020. Como resultado, as vendas nos três primeiros trimestres mostrarão um declínio significativo ano a ano em comparação com 2019. Espera-se que o mercado mostre sinais de recuperação no quarto trimestre de 2020.

Deste modo, a Canalys espera que as vendas no mercado mundial de PC diminuam ano a ano por três trimestres consecutivos, com um declínio de 21% no primeiro trimestre, um decréscimo de 23% no segundo e uma diminuição de 6% no terceiro trimestre. Depois, no quarto trimestre, o mercado deverá registar um crescimento de 13% à medida que o mercado vai estabilizar. A confirmar-se, o mercado mundial de PC sofrerá um forte declínio de 8,5% ano a ano em 2020 quando comparado a 2019.

Recomendado pelos leitores

Warpcom adquirida por multinacional espanhola
NEGÓCIOS

Warpcom adquirida por multinacional espanhola

LER MAIS

Microsoft Portugal anuncia novo Diretor-Geral
NEGÓCIOS

Microsoft Portugal anuncia novo Diretor-Geral

LER MAIS

Distribuição, em 2020, cresce 12,3% acima da economia apesar do shortage
NEGÓCIOS

Distribuição, em 2020, cresce 12,3% acima da economia apesar do shortage

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 83 DEZEMBRO 2021

IT CHANNEL Nº 83 DEZEMBRO 2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.