2018-4-05

NEGÓCIOS

Como está a evoluir a Internet of Things?

O IT Channel esteve à conversa com Aleksander Poniewierski, analista da EY e autoridade mundial no capítulo da Internet of Things (IoT), para saber o que podemos esperar deste conceito tecnológico nos próximos tempos

A IoT está a evoluir de uma forma tão subtil que já deixou de ser uma tendência para se tornar numa realidade. Aleksander Poniewierski, partner / global IoT leader da Ernst & Young – EY, e um dos “gurus” nesta matéria, relembra que a IoT “assenta na sensorização e monitorização de tudo”, o que significa que está presente em muito do que nos rodeia. “Existe a ideia errada de que a IoT não cresceu”, afirma, em entrevista ao IT Channel. “Se olharmos com atenção para o mercado verificamos exatamente o oposto – que a IoT está a crescer. As pessoas estão simplesmente a adotar estas tecnologias de forma nativa”. A expansão da IoT aconteceu devido à diminuição dos custos de armazenamento e transmissão dos dados, refere, à qual se junta o aumento do poder de processamento. “Isto leva a que hoje seja possível implementar a IoT a custo quase nulo. Há uns anos representava um enorme investimento”, justifica o analista.

Aleksander Poniewierski, partner / global IoT leader da Ernst & Young – EY

Empresas a monetizar dados de IoT A primeira grande tendência relacionada com a IoT diz respeito à sua monetização. “Só agora as empresas começarão a construir os seus negócios em volta dos dados recolhidos com recurso à IoT”, diz. “Este é o ano em que realmente acreditamos que as empresas, e respetivo ecossistema, começarão a tirar verdadeiro partido da IoT”, assegura. Processamento de dados no edge A segunda tendência a impactar a IoT é uma mudança de paradigma – do processamento na cloud para o processamento no edge, ou seja, mais próximo da recolha dos dados. “Há cerca de quatro ou cinco anos, a tendência era armazenar tudo na cloud. Tenho a certeza de que, ao longo deste ano, cada vez mais empresas vão implementar soluções de IoT por via da implementação de middleware. “O middleware é o processamento no edge. As empresas terão os dados e serão responsáveis por processá-los no edge. Depois, apenas alguma desta informação será enviada para a cloud. Considero que 2018 será a ano do edge, ou do fog processing”.

Da cibersegurança à resiliência by design A cibersegurança é a terceira tendência da IoT, segundo o analista da EY. “É o seu maior desafio”, indica Poniewierski, que salienta a importância da resiliência by design. “Significa que quando se constrói um ecossistema de raiz, existem desde o início ferramentas implementadas que permitem proteger o próprio ecossistema, mas também os clientes”, explica o especialista. A construção de ecossistemas nativamente seguros é igualmente importante, de acordo com Aleksander Poniewierski. “Por muito que as empresas ambicionem recolher e analisar os dados para prestarem um melhor serviço e melhorarem a vida dos seus clientes, a verdade é que existe o reverso da moeda: os atacantes querem aceder aos dados para uma utilização ilegítima”, adverte.

O ano de debater o 5G A última tendência está relacionada com a conetividade. “Este será o ano de debater o 5G e de perceber os use cases que podem advir”, antevê Poniewierski. O 5G, enquanto conceito, está a quebrar a física. “O 5G beneficiará a produtividade e dominará nas grandes empresas. A standardização complementa esta tendência. Existem diferentes starndards para a IoT de consumo, para a industrial, e o número de protocolos existentes é enorme. Hoje vemos diferentes organizações a tentarem encontrar uma forma de tornar esta standardização na IoT funcional. Durante este ano, este tópico será muito importante”, assegura o analista da EY. Além destas tendências, a EY está a olhar para a automação inteligente. “É a forma como as empresas estão a tentar utilizar a IoT, a inteligência artificial e o blockchain numa única plataforma”. No entanto, em vez de implementarem soluções de IoT, as empresas têm de pensar na automação inteligente dos seus processos existentes. “Prevemos que isto acontecerá realmente e que será algo que terá imenso impacto tanto na IoT de consumo como na industrial”, conclui.

TAGS

IoT redes 5G dados

Recomendado pelos leitores

Marketing: especializar para vencer
NEGÓCIOS

Marketing: especializar para vencer

LER MAIS

O Estado e o RGPD - “Faz o que eu te digo, mas…”
NEGÓCIOS

O Estado e o RGPD - “Faz o que eu te digo, mas…”

LER MAIS

Tech Data lança campanha para incentivar formação na área das vendas
NEGÓCIOS

Tech Data lança campanha para incentivar formação na área das vendas

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 46 Abril 2018

IT CHANNEL Nº 46 Abril 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES