2020-10-15

SEGURANÇA

Forcepoint reforça estratégia SASE

A Forcepoint anunciou a sua estratégia Dynamic Edge Protection, uma proposta SASE para o mercado que se centra em levar mais segurança para a cloud

A Forcepoint lançou a estratégia Dynamic Edge Protection que engloba as atuais soluções e serviços profissionais da empresa adaptadas ao conceito Secure Access Service Edge (SASE).

O SASE é a convergência da conectividade WAN para os utilizadores, grupos de utilizadores (como escritórios remotos) ou a inclusão de dispositivos IoT e serviços de segurança de rede, como NGFW, CASB ou Zero Trust, dentro de um único modelo de serviço cloud.

Na Forcepoint, a figura do Parceiro é muito valorizada no processo de transformação digital para acompanhar os clientes. “A Forcepoint tem e quer ter a colaboração do Parceiro no processo de migração para cloud do cliente. O integrador verá o seu papel fortalecido, pois na nuvem os serviços serão mais críticos, e o fato de contar com uma boa tecnologia será fundamental, uma vez que também será que o cliente terá um assessor forte para o orientar e informar na adoção das aplicações e serviços mais convenientes para o seu negócio”, destaca Elena Cerrada, Country Manager para Portugal e Espanha da Forcepoint, durante uma entrevista com a Ingecom, distribuidor que, em Portugal, representa a Forcepoint.

Entre as suas principais funções, o Cloud Security Gateway oferece recursos completos de SWG, CASB, DLP e RBI num único produto SaaS. Assim, é possível monitorizar continuamente as conexões do utilizador e aplicar diferentes políticas de segurança. Além disso, protege o acesso dos utilizadores à cloud ou serviços da Web onde quer que estejam - em casa ou no escritório.

Por outro lado, fornece segurança contra ameaças Zero Day e análise profunda de conteúdo para tráfego criptografado e não criptografado para detetar ameaças em desenvolvimento em toda a cadeia de ataque. Da mesma forma, evita a saída de dados para a cloud ou web, bem como a transferência de informações entre contas corporativas e privadas na cloud.

E, por fim, simplifica a gestão das políticas de segurança e operações, eliminando lacunas no estabelecimento e na aplicação dessas políticas para navegação segura, acesso a aplicações, isolamento remoto de navegador e proteção de dados.

Recomendado pelos leitores

O utilizador, o dispositivo e os dados: os três principais desafios da cibersegurança
SEGURANÇA

O utilizador, o dispositivo e os dados: os três principais desafios da cibersegurança

LER MAIS

WatchGuard aumenta ecossistema de Parceios em mais de 50%
SEGURANÇA

WatchGuard aumenta ecossistema de Parceios em mais de 50%

LER MAIS

Check Point alerta para riscos de apps Fleeceware
SEGURANÇA

Check Point alerta para riscos de apps Fleeceware

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 71 OUTUBRO 2020

IT CHANNEL Nº 71 OUTUBRO 2020

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.