2021-1-10

NEGÓCIOS

Em 2021 serão vendidos mais de 200 milhões de computadores portáteis

A HP, a Dell e a Lenovo estão a lançar novos produtos de gama média e alta em resposta às oportunidades geradas pelas exigências dos utilizadores. A crescente popularidade da educação à distância também impulsionou a procura de Chromebooks, que deverão representar 18,5% do mercado de computadores portáteis até 2021

A pandemia COVID-19 em 2020 impulsionou as vendas de computadores portáteis e fez com que se fosse ultrapassada a barreira unitária de 200 milhões de unidades vendidas pela primeira vez, como um crescimento anual de 22,5%, sendo este o mais elevado registado, de acordo com a mais recente pesquisa da TrendForce.

A consultora espera que as vendas globais de computadores portáteis até 2021 atinjam 217 milhões de unidades, o que representa um aumento homólogo de 8,6%.

À medida que o trabalho remoto se tem generalizado, as capacidades de suporte à videoconferência online serão um importante foco de designs de portáteis de negócios, incluindo melhorias relacionadas com inteligência artificial, qualidade de som e qualidade de imagem. Em particular, a HP, a Dell e a Lenovo estão a lançar novos produtos de gama média e alta em resposta às oportunidades geradas pelas exigências dos utilizadores acima referidos. A procura por esta categoria de produtos deverá atingir um pico no primeiro semestre do ano e, por sua vez, aumentar consideravelmente as vendas de computadores portáteis neste período.

Note-se que a crescente popularidade da educação à distância também impulsionou a procura de Chromebooks, que contribuíram substancialmente para o crescimento do mercado global. As vendas da Chromebooks atingiram 29,6 milhões de unidades em 2020, com um crescimento impressionante em termos homólogos de 74%, e este ano com vendas de 40 milhões, um aumento de 37%.

Os Chromebooks representaram 14,8% do mercado global de computadores portáteis em 2020, prevendo-se que esta taxa suba para 18,5% em 2021.

No que diz respeito aos sistemas operativos, o Windows continua a ser a escolha dominante no mercado dos portáteis. No entanto, devido ao rápido crescimento dos Chromebooks em 2020, a quota de mercado do Windows caiu abaixo dos 80% pela primeira vez. É pouco provável que o Windows recupere as suas quotas de mercado perdidas a curto prazo, uma vez que se espera que o seu declínio persista no futuro.

A TrendForce espera que as quotas de mercado do Windows, Chrome OS e MacOS estabilizem em cerca de 70-75%, 15-20%, e abaixo de 10%, respectivamente.

 

Recomendado pelos leitores

Confinamento: TIC escapam ao lockdown - Atualizado
NEGÓCIOS

Confinamento: TIC escapam ao lockdown - Atualizado

LER MAIS

Atos em negociações para adquirir DXC Technology
NEGÓCIOS

Atos em negociações para adquirir DXC Technology

LER MAIS

Pontual cria roadmap de transformação digital para apoiar escritório de contabilidade
NEGÓCIOS

Pontual cria roadmap de transformação digital para apoiar escritório de contabilidade

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 73 DEZEMBRO 2020

IT CHANNEL Nº 73 DEZEMBRO 2020

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.