Diana Ribeiro Santos em 2021-6-17

A FUNDO

Channel Survey

2021, um ano marcado pelo otimismo moderado

O Channel Survey é o novo barómetro do ambiente de negócios do Canal de IT que, apesar das contingências impostas pelo contexto pandémico atual, demonstra o otimismo da maioria das empresas em relação ao futuro

O Channel Survey é o primeiro estudo que se faz em Portugal sobre o ambiente de negócios no Canal de IT e a perceção que os Parceiros têm sobre o futuro dos seus negócios.

Este estudo foi realizado durante o mês de maio deste ano junto dos leitores do IT Channel e foram obtidas um total de 210 respostas. Os resultados apresentados incidem sobre uma amostra de 181 respostas de empresas que cumpriam os critérios de admissão do inquérito.

A amostra corresponde ao universo dos leitores do IT Channel e é de salientar que a grande maioria das respostas são provenientes de empresas com dez ou mais colaboradores, sendo que 34% têm mais do que 50 trabalhadores.

Quanto aos Parceiros, a grande maioria dos inquiridos qualifica-se como Integrador e Managed Services Providers (MSP), correspondendo a um total de 66%, sendo que os restantes 33% se dividem entre VAR, Resellers e Retailers.

O Channel Survey passará a ser realizado anualmente, tendo como principal objetivo comparar a evolução ao longo dos anos do ambiente de negócios.

O ambiente de negócios

O primeiro trimestre de 2020 foi passado num ambiente praticamente normal, uma vez que as medidas de confinamento inerentes à pandemia provocada pela COVID-19 só foram estabelecidas no final de março. Por outro lado, o primeiro trimestre de 2021 foi completamente díspar, ficando marcado pelo segundo confinamento geral.

De forma global, os resultados referentes às vendas do primeiro trimestre demonstram que houve um crescimento de 1,4%, mas é importante não esquecer que este resultado é uma média. As respostas obtidas são bastante assimétricas, uma vez que diferem por tipo de Parceiro e também pela dimensão da empresa.

Quanto ao tipo de Parceiro, os mais transacionais (Resellers e Retailers) declararam um decrescimento no volume de vendas do primeiro trimestre de 2021 face ao homólogo, enquanto os menos transacionais (VAR, Integradores e Managed Services Providers) declararam uma subida face ao ano passado.

Quanto à dimensão, as empresas que apresentam menos de 25 colaboradores indicam um decrescimento de 1,64%, enquanto as empresas com mais de 25 trabalhadores indicam um crescimento muito acentuado de 6,3% comparando os dois trimestres iniciais dos anos de 2020 e 2021.

A pandemia atingiu de forma assimétrica os Parceiros. Assim, estes resultados demonstram uma grande diferença por dimensão da empresa. Tal como o IT Channel publicou logo no início da pandemia, o contexto pandémico acabou por afetar mais o tecido empresarial das microempresas e PME de dimensão reduzida, onde atuam por sua vez os Parceiros que têm um menor número de colaboradores e uma dimensão também menor. E por outro lado, que a pandemia seria mais facilmente ultrapassada pelo tecido empresarial das PME com uma maior dimensão, pelas grandes empresas e pelo investimento público, onde os Parceiros que servem estes mercados também têm, em regra, uma maior dimensão.

Perceção do futuro: perspetiva de 2021 face a 2020

Quanto à perspetiva da totalidade do ano de 2021 face ao ano transato, existe, de uma forma geral, um otimismo moderado.

O estudo indica uma previsão de crescimento para 2021 de 3,10%, mas, mais uma vez, este é um resultado totalmente assimétrico; VAR, Integradores e Managed Services preveem um crescimento de 3,9%, enquanto Resellers e Retailers acreditam que não vão crescer este ano.

A par disto, a grande diferença situa-se na dimensão da empresa. As empresas com mais de 25 colaboradores indicam um crescimento bastante acentuado de 7%, enquanto as empresas mais pequenas continuam a lutar pela sua sobrevivência.

Quanto aos indicadores do ambiente de negócios, os indicadores sobre a estratégia de negócio são bastante ou moderadamente positivos em relação ao volume de vendas, à rentabilidade e à obtenção de novos clientes. O maior problema é, no entanto, a liquidez dos clientes, ou seja, as empresas desconfiam da capacidade atual dos clientes de conseguirem assumir os compromissos para os quais é possível mobilizá-los comercialmente.

Perceção do futuro: Índice de confiança

Quando questionados sobre a sua confiança no futuro do mercado onde se inserem para a totalidade do ano de 2021, as respostas são direrentes por atividade principal do Parceiro. Usando o número 100 como o termo de comparação para a neutralidade (representado por 0 nos gráficos), o ambiente de negócios de IT é percecionado de forma diferente. Os retalhistas acreditam que o ano será ligeiramente melhor do que 2020 com 101, apenas + 1 ponto que a neutralidade , o Resellers são os mais pessimitas com -7 pontos, sendo os Managed Services aqueles que se apresentam mais otimistas com +15 pontos.

A perceção do ambiente de negócios para empresas com mais de 25 colaboradores é muito superior, com +29 pontos, daquelas que têm menos de 25 trabalhadores com -6 pontos.

Esta diferença na percepção do futuro entre empresas mais pequenas e as maiores é o dado mais relevante de todo este estudo. Nitidamente as empesas de maior dimensão têm uma percepção muito mais otimista com 35 pontos de diferença relativamente aos Parceiro de menor dimensão.

Os verticais

Portugal continua a ser um país de serviços. Os setores que os Parceiros acreditam que se vão desenvolver no futuro estão ligados a áreas de serviços como a administração pública, a saúde, a indústria, o comércio e a distribuição.

Existe ainda um pessimismo face ao vertical do turismo, uma vez que os Parceiros acreditam que ainda não é viável economicamente apostar neste setor que foi bastante afetado pela pandemia.

A relação com a indústria

Uma das conclusões mais notáveis deste estudo é que a relação com as marcas é genericamente muito boa. Ou seja, o índice de satisfação dos Parceiros com as marcas é de forma genérica bastante satisfatória com 4,15 pontos em cinco de forma global.

Aquilo que os Parceiros mais valorizam na relação com as marcas é o apoio técnico, seguida da disponibilidade do produto (dado o histórico de shortage que existe atualmente e agravado pela pandemia), enquanto o co-marketing é aspeto menos valorizado.

Não há muitas diferenças entre a forma como os VAR, Resellers, Retailers. Integradores e Managed Services veem a relação com as marcas. No entanto, os estímulos e rebates aparecem como um aspeto mais atrativo para Resellers e Retailers e menos atraente para os Integradores.

Já as margens também são importantes para Resellers e Retailers e menos importante para Integradores, o que é explicado pelo facto de estes venderem mais serviços.

Valorização dos fabricantes

Ao questionar os leitores sobre com que fabricantes tinham um maior volume de negócios, e consequentemente qual o seu nível de satisfação, o IT Channel obteve um total de 127 marcas diferentes, o que demonstra uma resposta bastante pulverizada.

O IT Channel estabeleceu como critério mínimo de admissão ter, pelo menos, 4% de respostas face ao universo de leitores; assim só 12 marcas tiveram o mínimo da amostra definida, das quais publicamos as dez marcas com maior índice de satisfação por parte dos leitores.

Com um escala de resposta de 1 a 5, a generalidade das marcas ficou muito bem posicionada, sendo que as diferenças entre elas são pequenas. O retalho é, em regra, menos generoso na pontuação o que faz com que as marcas que mais dependem deste Canal acabem por ser as menos valorizadas na relação entre o cliente e o fornecedor.

Para os fabricantes que trabalham apenas um segmento, o critério de admissão foi menos exigente, com 3% ou mais da amostra, uma vez que a probabilidade de resposta é menor. Assim, foi possível obter um ranking que demonstra que o melhor nível de satisfação em algumas categorias.

Ficha técnica

Inquérito aos subscritores digitais do jornal IT Channel (6.130) que decorreu entre o dia 5 e 31 de maio de 2021 em plataforma web.

  • Questionários recebidos: 210 empresas
  • Questionários com todos os requisitos: 181 empresas
  • Número total de referências a fabricantes: 381
  • Número de total fabricantes mencionados: 127
  • Fabricantes mencionados em mais de 4% das respostas: 12
  • Fabricantes mencionados em mais de 3% das respostas: 23

O IT Channel disponibiliza, a pedido, informação estatística complementar, mas anonimizada, aos fabricantes visados

Recomendado pelos leitores

Palavra aos Parceiros e mercado de servidores, armazenamento e virtualização em destaque na edição 79 do IT Channel
A FUNDO

Palavra aos Parceiros e mercado de servidores, armazenamento e virtualização em destaque na edição 79 do IT Channel

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 79 JULHO 2021

IT CHANNEL Nº 79 JULHO 2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.