Paula Fernandes, Modern Work & Security BG Lead Microsoft Portugal em 2021-4-19

SERVIÇOS

Advertorial

Bem-estar no centro – Condição de sucesso no futuro do trabalho

Muitas têm sido as analogias utilizadas para caracterizar a transformação do último ano. Uma coisa é certa, a pandemia teve efeitos incontornáveis no avanço tecnológico e na alteração do modelo de trabalho, que perdurará no futuro

A evolução do trabalho e investimentos realizados no último ano

A primeira fase, iniciada em março de 2020, pautou-se pela resposta à crise, no colmatar de necessidades que permitissem que as organizações e as suas pessoas transitassem para um modelo de trabalho remoto. Para além da aquisição de hardware, assistimos à utilização massiva das nossas plataformas de produtividade e colaboração. Em concreto, de Microsoft 365 e Microsoft Teams. Apoiámos desde o primeiro momento esta necessidade e adoção, com a disponibilização de trials alargados do Microsoft Teams, formação e suporte, entre outros recursos.

Aquela que começou por ser a resposta a uma situação de emergência, para muitas organizações traduziu-se na otimização de processos, maior eficiência e na criação de novos serviços. Tais consequências abriram assim novas possibilidades e o alcançar de novos clientes e mercados até então não explorados pelas empresas nacionais.

Uns meses mais tarde, numa das questões do estudo “Future of Work”, realizado pela Microsoft, em Parceria com a BCG e KRC Research, em 15 países europeus – Portugal incluído – 98% dos líderes nacionais afirmaram que a inovação e transformação do ambiente de trabalho era uma prioridade. Depois das bases para a viabilização do trabalho remoto, as organizações procuram agora munir-se das ferramentas e soluções que lhes permitam reimaginar o seu futuro, em segurança.

E porquê segurança? Este último ano ficou igualmente marcado pela escalada do cibercrime, com ameaças cada vez mais sofisticadas e transversais. Senão vejamos: o acesso aos dados corporativos passou a ser realizado a partir de múltiplas localizações e em dispositivos que não exclusivamente os corporativos. Esta alteração tem que ser acompanhada da transição de uma abordagem de perímetro para modelos Zero Trust, que nos ensinam a “nunca confiar, verificar sempre”, e que estendem a proteção a todos os elementos do património digital – identidade, dispositivos, dados, aplicações, infraestrutura e redes.

A Microsoft é líder em cibersegurança e todas as soluções são desenvolvidas com base numa abordagem Zero Trust.

A evolução do Microsoft Teams

Já foi mencionada a evolução na adoção do Microsoft Teams e o seu papel na capacitação de organizações, escolas e pessoas a manterem- se produtivas, conectadas e colaborativas. Em novembro de 2020, anunciámos 115 milhões de utilizadores do Microsoft Teams ativos e mais de 30 mil milhões de minutos diários de colaboração.

A capacidade de realizar chamadas e videoconferências é apenas uma das funcionalidades do Microsoft Teams, o hub do Trabalho que reúne o que as equipas necessitam para colaborar e criar: reuniões, chamadas, dispositivos, coautoria e partilha de conteúdo. A que se junta a capacidade de integrar aplicações – de terceiros ou de desenvolvimento próprio – e automação de processos, permitindo que as pessoas não tenham que transitar entre aplicações e ganhem tempo para o que realmente importa.

É, então, possível adicionar centenas de aplicações – desde CRM, a relatórios de Power BI, gestão de tarefas, entre outras. E o poder do low-code e da automação através da Power Platform da Microsoft permitem automatizar processos de negócio específicos de cada organização, sem necessidade de ter conhecimentos de programação.

Colocando o foco apenas na componente de videoconferência, também neste ponto a nossa abordagem é diferenciada. As ferramentas de videoconferência tradicionais abordam as reuniões como eventos isolados. Porém, a colaboração é um ciclo contínuo de interações, que acontece antes, durante e depois da reunião terminar. Esta premissa está no centro do desenho da experiência de reunião no Microsoft Teams, trazendo tudo o que uma equipa precisa para colaborar (documentos, whiteboard digital, notas e gravação da reunião, entre outros) para o mesmo lugar.

Os quatro anos que a plataforma acaba de celebrar têm sido marcados por uma constante inovação, a pensar em ambientes de trabalho híbridos e cada vez mais digitais. O último ano foi vertiginoso, com múltiplas funcionalidades introduzidas, tendo em vista a promoção de experiências de colaboração o mais ricas, interativas e imersivas possível. Por exemplo, o Together Mode permite colocar os participantes de uma videochamada no mesmo espaço virtual e com diversas opções de cenário comum.

E, respondendo às crescentes preocupações com o equilíbrio, lançámos funcionalidades de bem-estar no final de 2020. Esta necessidade de colocar as pessoas no centro tornou-se tão clara que estas funcionalidades integram agora o Microsoft Viva, a primeira plataforma de employee experience, lançada em fevereiro deste ano.

Por fim, o Microsoft Teams é desenhado sob o compromisso com a segurança, privacidade e conformidade.

Além da encriptação nativa, é possível adicionar camadas adicionais de segurança como a autenticação multifator ou criar políticas de acesso à informação. E os organizadores das reuniões podem gerir quem e de que modo participa, bem com o acesso à informação, para enumerar algumas das possibilidades.

Escritórios – O que virá a seguir?

No estudo acima mencionado, 92% dos líderes responderam que pretendem manter-se num modelo híbrido e 1/3 dos colaboradores deseja estar pelos menos 33% da semana fora do escritório. As organizações que ainda não o fizeram têm que agir e preparar os escritórios para quando o regresso for viável.

Esta preparação não se esgota na adoção de soluções de ocupação e reserva de espaços. As pessoas irão aos escritórios sobretudo para recuperar a cultura informal e para sessões de ideação, brainstorming e criatividade. O mobiliário, disposição e a tecnologia têm que se adaptar a este novo propósito. Ferramentas com whiteboards digitais, dispositivos de colaboração e soluções Microsoft Teams Rooms são fundamentais no redesenhar dos espaços onde as pessoas irão reunir e para a inclusão de todos.

E as pessoas?

A transição de trabalho remoto para híbrido permitirá conservar as vantagens encontradas no último ano: para líderes, maior eficiência e sustentabilidade; para colaboradores, maior flexibilidade e a incorporação da dimensão pessoal no trabalho. Simultaneamente, permitirá responder melhor a alguns dos desafios reportados: dificuldade de manutenção da cultura organizacional, trabalho em silos e uma consequente redução dos processos de inovação nas organizações.

Contrariando alguns receios iniciais, a produtividade não só não decresceu como inclusivamente aumentou. Por via do acréscimo de horas trabalhadas, que em muitos casos está a ser acompanhado de exaustão e decréscimo de saúde mental. No relatório do Work Trend Index 2021, 41% dos inquiridos afirma estar disposto a mudar de emprego.

Estes dados são muito preocupantes e a evidência de que o equilíbrio tem que ser recuperado. E como? O bem-estar individual tem que estar no centro. As pesquisas mostram que quando investimos na melhoria da experiência dos colaboradores, impactamos o seu compromisso, satisfação, retenção e, consequentemente, o sucesso global da organização.

Para esse efeito, a Microsoft criou uma nova categoria de solução tecnológica, o Microsoft Viva. O Microsoft Viva integra quatro módulos – Topics, Insights, Learning e Connections, com experiências integradas com o Microsoft Teams e com o Microsoft 365.

O Viva Connections é a porta de entrada para esta experiência, com notícias, comunicações, tarefas, pessoas e recursos. Pode ser configurado para distintos perfis funcionais. No segundo módulo, são facultados diversos insights, acionáveis e com vista a promover o equilíbrio entre produtividade e bem-estar. Viva Topics identifica conhecimento e organiza-o em tópicos partilhados, facilitando o acesso ao mesmo. Por último, Viva Learning permite que cada um de nós descubra facilmente a aprendizagem formal e informal. Agregando conteúdos de diferentes fontes e curadorias num único lugar.

Este é um caminho de mudança cultural nas organizações. A tecnologia Microsoft está ao serviço dessa transformação.

Oportunidade para os Parceiros

Para além do aumento de serviços de adoção e de gestão da mudança registado no último ano, a capacidade de expansão do Microsoft Teams cria muitas oportunidades para serviços de integração e desenvolvimento personalizado.

Aliado ao poder da Power Platform, muitos Parceiros estão a desenvolver soluções à medida das necessidades dos seus clientes. Considerando o nosso mais recente lançamento, Microsoft Viva, consolida-se o espaço e oportunidade em soluções de desenvolvimento dos colaboradores.

Por fim, e em matéria de cibersegurança, a consolidação em soluções Microsoft permite a otimização dos investimentos dos clientes e uma vez mais, cria condições para que os Parceiros possam construir ofertas de serviços adicionais.

 

Conteúdo co-produzido pela MediaNext e pela Microsoft

TAGS

Microsoft

Recomendado pelos leitores

Quando falamos de teletrabalho, pode tornar-se um desafio a garantia de produtividade
SERVIÇOS

Quando falamos de teletrabalho, pode tornar-se um desafio a garantia de produtividade

LER MAIS

O local de trabalho mudou por inerência da Pandemia e assumirá um modelo híbrido por vontade dos colaboradores
SERVIÇOS

O local de trabalho mudou por inerência da Pandemia e assumirá um modelo híbrido por vontade dos colaboradores

LER MAIS

Red Hat revela mudanças na estratégia do Canal
SERVIÇOS

Red Hat revela mudanças na estratégia do Canal

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 77 MAIO 2021

IT CHANNEL Nº 77 MAIO 2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.