Sérgio Azevedo, Managing Director da Streamroad Consulting em 2020-4-17

OPINIÃO

Marketing & Vendas

A pergunta de um milhão de dólares: quanto tempo vai isto durar?

Depois de meses e meses a defender o planeamento como principal fator de sucesso de uma estratégia de marketing, surge uma pandemia e deita tudo por terra. Falemos, pois então, das oportunidades que se apresentam

Sérgio Azevedo, Managing Director da Streamroad Consulting

Incerteza é a palavra de ordem. São muitas as informações que todos os dias nos entram em casa pelas televisões, mas o rumo da história que estas notícias contam, muda a cada hora que passa. E as empresas não podem viver “na corda bamba”, sem saber como será o mês ou o trimestre seguinte.

Quem trabalha em Vendas e/ou Marketing - sem menosprezo de qualquer outra atividade - sabe o quão importante é poder planear, antecipar, prever, adiantar-nos aos desafios e apresentar soluções. Mas como esta cadeia de pensamento é agora mais difícil, impõem- se novas estratégias.

Como não podemos adiantar o calendário um ano, e também não temos resposta para a questão que dá título a este artigo, o melhor é prepararmo-nos para um mau cenário – esperando, claro, que o melhor aconteça!

Não estaria a ser honesto e transparente convosco se não começasse, desde logo, por admitir o quão impactante toda esta crise tem sido, quase desde o seu primeiro minuto, para o nosso negócio, como agência de marketing que somos – um negócio com uma parte significativa apoiada na organização de eventos, todos cancelados ou, no melhor dos cenários, adiados.

E agora?

Como diz o velho provérbio, “a necessidade aguça o engenho”, pelo que não nos resta mais do que ver oportunidades onde hoje existem dificuldades, reinventar-nos, adaptarmos o negócio e – quem sabe – encontrar um novo rumo que nos permita aplicar as nossas competências com sucesso e que possamos continuar a seguir, mesmo depois de tudo passado.

Talvez por nos movermos no mundo das TIC desde sempre, torna- se mais fácil detetarmos essas oportunidades, mas conseguimos perceber a dificuldade que muitas outras organizações sentiram ao ver-se obrigadas a implementar medidas baseadas em soluções tecnológicas, sobretudo empresas mais pequenas, com menos recursos e competências digitais.

Porque é disso mesmo que falamos, da importância de acelerar as soluções para esta nova realidade, através da digitalização dos canais de comunicação com parceiros e clientes e da automatização de processos.

A verdade é que o mundo digital veio abrir portas a novas formas de comunicação e, sobretudo, criar oportunidades inovadoras de negócios. Como tenho vindo a dizer em artigos anteriores, as empresas que pretendam ter sucesso nos dias de hoje, têm que recorrer a estratégias de marketing digital assertivas e segmentadas, com vista a obterem os melhores resultados para o target que perseguem.

Entre as vantagens de ter ao seu lado uma agência de marketing preparada para os tempos que atravessamos, destaca-se a possibilidade de fazer uso de modelos de comunicação digitais, ter apoio de especialistas na área, que o ajudem a definir as melhores estratégias, mas também a cumprir as regras do RGPD e a integrar múltiplas plataformas.

As ferramentas de automatização de Marketing são hoje um trunfo fundamental. Só com uma coordenação sustentada por regras de privacidade, conteúdos relevantes e personalizados para os destinatários, se conseguem os melhores resultados.

E, por fim, o teletrabalho, que assume aqui uma importância central e obriga a uma mudança na cultura empresarial. É tempo de implementar ou intensificar, caso a empresa já utilize, o recurso a equipamentos, ferramentas e software colaborativo por todos. Desde logo, estamos perante uma oportunidade de negócio importante para o canal das TIC, uma vez que muitas empresas, tendo sido “apanhadas desprevenidas”, não têm a sua força de trabalho devidamente equipada para este cenário.

Em resumo…

O que é importante é continuarmos a trabalhar para manter a nossa sobrevivência e proteger a nossa frágil economia, mantendo o nível de produção tão elevado quanto possível.

Neste setor de vanguarda, temos todos que ter capacidade de fazer isto. As TIC são cruciais neste processo e põem ao nosso dispor canais e ferramentas de grande valor para que continuemos a trabalhar e – mais do que isso – a sermos produtivos e rentáveis.

O estado tem anunciado mecanismos de apoio às empresas, mas infelizmente não vai conseguir chegar a todos, pelo que temos que fazer a nossa parte para atingir um objetivo fundamental: tentar não precisar dessa ajuda, reservando-a para quem realmente dela irá necessitar.

Recomendado pelos leitores

O lanterna vermelha
OPINIÃO

O lanterna vermelha

LER MAIS

Disrupções nas cadeias de valor podem custar 920 milhões de euros ao PIB europeu
OPINIÃO

Disrupções nas cadeias de valor podem custar 920 milhões de euros ao PIB europeu

LER MAIS

Uma fábrica longe de mais
OPINIÃO

Uma fábrica longe de mais

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 88 JUNHO 2022

IT CHANNEL Nº 88 JUNHO 2022

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.