2022-7-14

NEGÓCIOS

Produção leva a decréscimo de 15% nas vendas mundiais de PC

Canalys indica que os problemas de produção na China levaram a um decréscimo nas vendas mundiais de computadores na ordem dos 15% no segundo trimestre de 2022

Produção leva a decréscimo de 15% nas vendas mundiais de PC

O segundo trimestre de 2022 trouxe grandes disrupções para o mercado de PC, uma vez que os lockdowns provocados pela COVID-19 na China impediram a fabricação de produtos. Os dados mais recentes da Canalys mostram que as vendas totais de desktops e notebooks caíram 15% ao ano para 70,2 milhões de unidades, o nível mais baixo desde que uma interrupção semelhante ocorreu no primeiro trimestre de 2020. Os ventos contrários da procura, especialmente por parte dos consumidores finais, também aumentaram, uma vez que a inflação continua sem controlo em muitos dos maiores mercados de PC do mundo.

As vendas de notebooks caíram 18,6% no segundo trimestre de 2022, para 54,5 milhões de unidades, que regista uma queda pelo terceiro trimestre consecutivo, já que as compras de educação permaneceram baixas em comparação com o mesmo trimestre do ano passado. Os desktops saíram-se muito melhor, registando um crescimento modesto de 0,6% para 15,6 milhões de unidades. O segmento comercial premium continuará a ser um ponto positivo para o mercado geral de PC durante este ano, apesar dos crescentes desafios nas perspetivas macroeconómicas globais.

Como esperado, os lockdowns por causa de COVID nas principais regiões e cidades da China durante a maior parte do segundo trimestre afetaram severamente a fabricação e exportação de PC”, explicou Emma Xu, analista da Canalys. “A interrupção nas operações da fábrica e dos portos em Xangai, Kunshan e Jiangsu levou a atrasos significativos nos pedidos de todos os principais fornecedores de PC. Embora a produção e a coordenação tenham começado a melhorar no final de maio, a produção ficou abaixo dos níveis normais ao longo do segundo trimestre. Além disso, as restrições à circulação de pessoas e mercadorias e a redução da atividade comercial causaram uma queda acentuada nas compras domésticas na China, o segundo maior mercado de PC do mundo. Embora os indicadores de gastos comerciais e de consumo tenham melhorado em junho, a situação económica geral permanece incerta, pois a política zero-COVID do governo permanece em vigor”.

Vendas mundiais de desktops e notebooks (quota de mercado e crescimento anual)

Fabricante Vendas Q2 2022 Quota de Mercado Q2 2022 Vendas Q2 2021 Quota de Mercado Q2 2021 Crescimento Anual
Lenovo 17.517 25% 20.006 24,2% -12,4%
HP 13.484 19,2% 18.595 22,5% -27,5%
Dell 13.233 18,9% 13.976 16,9% -5,3%
Acer 5.094 7,3% 6.249 7,6% -18,5%
Asus 4.668 6,7% 4.920 6% -5,1%
Outros 16.167 23% 18.801 22,8% -14%
Total 70.163 100% 82.546 100% -15%

Nota: Unidades vendidas em milhares. As percentagens podem não somar 100% devido a arredondamentos.
Fonte: Canalys PC Analysis (sell-in shipments), Julho de 2022

 

A Lenovo manteve o primeiro lugar no mercado mundial de PC, embora as suas vendas tenham caído 12% para 17,5 milhões de unidades no segundo trimestre de 2022. A HP sofreu o maior declínio entre os cinco principais fornecedores, prejudicada por uma comparação má com as suas fortes vendas de educação no ano passado. As vendas totais da HP caíram 28%, para 13,5 milhões de unidades. A Dell ficou logo atrás da HP em terceiro lugar, registando um declínio relativamente modesto de 5% para 13,2 milhões de unidades, aumentando a sua participação de mercado em dois pontos percentuais em comparação com há um ano. Acer e Asus completaram os cinco primeiros, com quedas de 19% e 5%, respetivamente.

Do ponto de vista da procura, os segmentos de consumo e comercial estão claramente a divergir em força no curto prazo”, refere o analista sénior da Canalys, Ishan Dutt. “O agravamento da inflação é o fator económico dominante na mente dos consumidores, e os aumentos de preços em uma cesta de bens e serviços estão relegando os gastos com PC e outros hardwares a necessidades mais básicas. Embora a importância de ter um dispositivo de alta qualidade não tenha diminuído, a maioria dos proprietários de PC com necessidades de computação relativamente básicas irá contentar-se em enfrentar esse período de incerteza económica e optar por atualizar os seus dispositivos quando a pressão sobre os seus orçamentos diminuir ou o desconto por fornecedores e retalhistas for significativo. As empresas também estão a enfrentar as ameaças de inflação e aumento das taxas de juros, mas o investimento em PC e TI em geral continua a ser vital para a transformação digital como parte da recuperação pós-COVID. Os fornecedores com forte reputação comercial, Parcerias profundas de Canal e portfólios voltados para casos de uso de negócios de alto desempenho estarão em melhor posição para mitigar os desafios enfrentados pela indústria de PC este ano”.

ARTIGOS RELACIONADOS

Mercado de PC da Europa Ocidental decresce 3%
NEGÓCIOS

Mercado de PC da Europa Ocidental decresce 3%

LER MAIS

Mercado de PC e tablet diminui, mas continua superior ao período pré-pandémico
NEGÓCIOS

Mercado de PC e tablet diminui, mas continua superior ao período pré-pandémico

LER MAIS

Mercado de PC vê receitas crescer, mas unidades vendidas a diminuir no primeiro trimestre
NEGÓCIOS

Mercado de PC vê receitas crescer, mas unidades vendidas a diminuir no primeiro trimestre

LER MAIS

Recomendado pelos leitores

Suprides é agora associada da ASEMINFOR
NEGÓCIOS

Suprides é agora associada da ASEMINFOR

LER MAIS

IBM lança Programa IBM Partner Plus
NEGÓCIOS

IBM lança Programa IBM Partner Plus

LER MAIS

PCDiga posiciona-se no mercado com hardware e computing para todos os gostos
NEGÓCIOS

PCDiga posiciona-se no mercado com hardware e computing para todos os gostos

LER MAIS

Programas de Canal 2023

Programas de Canal 2023

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.