2020-7-30

NEGÓCIOS

Huawei destrona Samsung pela primeira vez no mercado mundial de smartphones

É a primeira vez em nove anos que uma empresa diferente da Samsung ou da Apple lidera o mercado

Pela primeira vez no 2º trimestre de 2020, a Huawei entregou mais smartphones em todo o mundo do que qualquer outro fornecedor. É também a primeira vez em nove anos que uma empresa diferente da Samsung ou da Apple lidera o mercado. 

A Huawei enviou 55,8 milhões de dispositivos móveis durante este ano, e a Samsung 53,7 milhões de smartphones, registando assim uma queda de 30% face ao 2º trimestre de 2019.

Ainda assim, a Huawei continua sujeita a restrições governamentais dos EUA, o que tem sufocado os seus negócios fora da China.

Os seus envios para o exterior caíram 27% no 2º trimestre, mas apesar disso a marca domina o seu mercado interno, impulsionando os seus envios chineses em 8% no 2º trimestre, vendendo cerca de 70% dos seus smartphones na China, que atualmente já se encontra num processo de reaberturas de fábricas e desenvolvimento económico.

"Este é um resultado notável que poucas pessoas teriam previsto há um ano", afirma o analista sénior do Canalys, Ben Stanton. "Se não fosse a COVID-19, não teria acontecido. A Huawei aproveitou ao máximo a recuperação económica chinesa para reacender o seu negócio de smartphones. A Samsung tem uma presença muito pequena na China, com menos de 1% de quota de mercado, e tem visto os seus principais mercados, como o Brasil, a Índia, os Estados Unidos e a Europa, devastados por surtos e subsequentes bloqueios".

"Ocupar o primeiro lugar é muito importante para a Huawei", explica o analista da Canalys Mo Jia. "É importante mostrar a força da marca aos consumidores nacionais, fornecedores de componentes e desenvolvedores. É preciso convencê-los a investir, apesar de ser difícil para a Huawei manter a sua liderança a longo prazo. Os seus principais parceiros de canal em regiões-chave, como a Europa, estão cada vez mais desconfiados em abranger os dispositivos da Huawei, assumindo menos modelos e apostando noutras marcas para reduzir o risco".

O analista da Canalys, Mo Jia, acredita que a força que a Huawei detêm na china atualmente não será suficiente para sustentar a marca  assim que a economia global começar a recuperar.

 

Recomendado pelos leitores

Fornecedores do setor público: é hora de aderir à faturação eletrónica
NEGÓCIOS

Fornecedores do setor público: é hora de aderir à faturação eletrónica

LER MAIS

Dynabook Portugal anuncia diretor comercial
NEGÓCIOS

Dynabook Portugal anuncia diretor comercial

LER MAIS

Sage reforça aposta na digitalização
NEGÓCIOS

Sage reforça aposta na digitalização

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 72 NOVEMBRO 2020

IT CHANNEL Nº 72 NOVEMBRO 2020

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.