2018-1-31

CLOUD

69% das empresas veem a segurança como responsabilidade dos fornecedores cloud

Segundo um estudo publicado pela Veritas, a maioria das empresas considera prioritário trabalhar na cloud – e mais de dois terços das mesmas considera a proteção de dados e privacidade como responsabilidade exclusiva dos fornecedores de serviços cloud

A Cesce Si divulgou os resultados de um inquérito mundial que abrangeu treze países, publicados pela sua parceira de negócios, Veritas Technologies, líder em gestão de dados multi-cloud, cujas conclusões indicam que a mentalidade da maior parte das empresas em todo o Mundo (56%) considera prioritário trabalhar na cloud quando se trata de implementar novas aplicações e gerir cargas de trabalho.

Apenas 1% das empresas indicou que não irá adotar os serviços na cloud durante os próximos dois anos. Contudo, o estudo revela que existem equívocos relativamente à responsabilidade pela gestão dos dados, em que 69% das organizações acreditam, erradamente, que a proteção dos dados, a privacidade dos dados e a conformidade com as normas são da responsabilidade do fornecedor de serviços de cloud.

O estudo The Truth in Cloud, encomendado pela Veritas e orientado por Vanson Bourne, incidiu sobre 1200 empresas globais, e os decisores de IT revelaram que os clientes estão a adotar o multi-cloud como componente essencial nas suas estratégias de negócio. No inquérito, os clientes indicaram estar a utilizar uma variedade de fornecedores de serviços na cloud, incluindo clouds públicas e clouds privadas alojadas.

Relativamente a Infrastructure as a Service (IaaS), especificamente, mais de dois terços (67%) das organizações indicaram estar a utilizar, ou tencionar utilizar, dois ou mais fornecedores de serviços na cloud. 42% indicaram estar a utilizar, ou tencionar utilizar, três ou mais fornecedores de serviços na cloud, com os objetivos em comum de aumentar a resiliência e a segurança dos dados, bem como reduzir o dispêndio de capital (Capex) e as despesas operacionais (Opex).

Relativamente à adoção dos serviços na cloud, o estudo explora três áreas de enfoque: equívocos relativamente à gestão de dados na cloud pública, aumento da adoção do multi-cloud e tendências futuras.

 

Equívocos relativamente à gestão de dados na cloud pública

Embora as organizações estejam a adotar um método multi-cloud, o estudo mostra que, quando se trata de cloud públicas, especificamente, existem equívocos sobre qual das partes é a responsável final pela gestão dos dados: o cliente ou o fornecedor de serviços na cloud.

As principais conclusões incluem:

  • Mais de oito em cada dez (83%) das empresas que utilizam ou tencionam utilizar IaaS pensam que o seu fornecedor de serviços de cloud trata de proteger os seus dados na cloud.
  • Mais de dois terços (69%) dos inquiridos pensam que podem delegar aos fornecedores de serviços de cloud toda a responsabilidade pela proteção dos dados, pela privacidade dos dados e pela conformidade com as normas.
  • Mais de metade (54%) das empresas pensa que é da responsabilidade do fornecedor de serviços de cloud a transferência em segurança dos dados entre o local e a cloud.
  • Mais de metade (51%) pensa que é da responsabilidade do fornecedor de serviços de cloud fazer o backup das cargas de trabalho na cloud.
  • Mais de uma em cada duas (55%) das empresas pensa, também, que o tempo de operacionalidade das aplicações é da responsabilidade do fornecedor de serviços de cloud.

 

“Não obstante os clientes pensarem que os fornecedores de serviços de cloud têm a responsabilidade pela gestão dos dados, os contratos dos fornecedores de serviços de cloud, normalmente, delegam a responsabilidade pela gestão dos dados aos clientes. O nosso estudo veio confirmar a nossa suposição de que a principal responsabilidade pela gestão dos dados cabe ao cliente”, disse Mike Palmer, vice-presidente executivo e CPO da Veritas. “A Veritas apoia plenamente um método multi-cloud e tem parcerias com muitos fornecedores de serviços de cloud para ajudar os clientes a gerir e a extrair o máximo de valor das suas aplicações e dados”.

 

Adoção do multi-cloud em ascensão

O estudo Truth in Cloud mostra, também, que as empresas em média, estão a utilizar, ou tencionam utilizar, múltiplas plataformas na cloud, desde clouds públicas a clouds privadas alojadas. Contudo, muitas organizações continuam a enfrentar desafios para chegarem à cloud, quer se trate de uma cloud pública ou de uma cloud privada alojada. As barreiras mais comuns são:

  • Complexidade na migração para a cloud (37%).
  • Limitações tecnológicas (36%).
  • Falta de conhecimentos dentro da empresa (38%).
  • Falta de uma estratégia clara (32%).
  • Silos de dados (27%).

Atualmente, 75% das organizações trabalha com um fornecedor de serviços na cloud pública IaaS e, surpreendentemente, 16% dos inquiridos referiram estar a utilizar, ou tencionam utilizar, cinco ou mais fornecedores de serviços de cloud. Os inquiridos referiram que a privacidade dos dados, a segurança e a conformidade com as normas, o desempenho das cargas de trabalho e o tempo de operacionalidade são os principais fatores de decisão na escolha do fornecedor de serviços.

 

Tendências futuras

Segundo o estudo, os gastos dos departamentos de tecnologias de informação com as tecnologias de cloud, incluindo com fornecedores de serviços de cloud pública, deverão subir de 12% em 2017 para 18%, dentro dos próximos dois anos. É provável que a tendência seja para continuar a aumentar, uma vez que mais de metade (58%) das empresas que, atualmente, utilizam um fornecedor de serviços na cloud indicaram que tencionam expandir o seu portefólio para múltiplas plataformas na cloud.

“Dado que cada vez mais empresas adotam uma mentalidade de considerar a cloud prioritária, a necessidade de navegar no complexo mundo multi-cloud, é premente. Tal como em ambientes locais, ao migrarem para a cloud, os clientes devem considerar todos os aspetos da gestão de dados, desde a proteção de dados, a conformidade com as normas e a portabilidade da carga de trabalho, à continuidade do negócio e otimização do armazenamento” acrescentou Palmer.

Recomendado pelos leitores

Cloud alavanca resultados financeiros da Sage
CLOUD

Cloud alavanca resultados financeiros da Sage

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 47 Maio 2018

IT CHANNEL Nº 47 Maio 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES