João de Sousa em 2014-1-02

A FUNDO

Eficiência Energética

Controlo e monitorização: Argumentos que vendem

O crescimento dos custos com a energia, e a expectativa que este seja uma tendência irreversível, a par das preocupações e custos ambientais, trouxe a eficiência energética para o centro das preocupações da generalidade das empresas - as nacionais não constituem excepção, em grande medida devido à actual conjuntura económica. E, neste domínio, é ainda necessário generalizar a consciência de que as palavras-chave são “controlo” e “monitorização” e que sem elas não existe verdadeiramente eficiência

Controlo e monitorização argumentos que vendem na gestão energética

As conjunturas adversas não representam apenas um conjunto interminável de dificuldades, devendo, como tal, ser classificadas liminarmente de forma negativa. Por curioso que pareça, encerram igualmente muitos aspectos positivos, verdadeiras oportunidades e circunstâncias únicas para aperfeiçoar, ou até corrigir, processos que, por esta ou aquela razão, na maioria dos casos por pura inércia, carecem de racionalização – leia-se diminuir e optimizar – os custos de contexto, frequentemente, até aí, numa espécie de autogestão.

O que sabe acerca da sua factura de Energia?

Os custos com a Energia encontram-se, sem dúvida, nesta categoria. A liberalização do mercado de Distribuição não trouxe consigo a redução de preços que seria de esperar em resultado da concorrência. Estranhamente os players parecem ter todos alinhado as tarifas... por cima.
Há empresas onde esta “conta” assume especial relevo na estrutura de custos, como acontece, de um modo geral, no sector da Indústria. Mas, não é menos verdade que, a breve trecho, a generalização do recurso à contabilidade analítica permitirá conhecer com rigor, ao nível departamental, os gastos com a energia, o que abre uma miríade de novas possibilidades de participação activa da gestão no sentido de reduzir esta parcela nos custos globais de cada empresa. Pela sua efectiva relevância e peso específico na rubrica “Despesa”, são uma realidade para a qual é imprescindível e urgente olhar com particular atenção sobretudo na parte que diz respeito aos departamentos de TIC, ávidos consumidores de energia.

A sempre crescente dimensão das necessidades de processamento e armazenamento, ao nível do Datacenter, a que acresce o aumento do montante indispensável para o “arrefecer”, mantendo-o à temperatura adequada, tornam este item incontornável e posicionam-no bem no topo da lista de prioridades de qualquer gestão moderna e minuciosa.

E sabe a tempo de decidir?

A análise atenta e minuciosa, por departamento e “em tempo real”, da factura de energia da sua empresa, iria decerto deixá-lo escandalizado com o desperdício que se desenrola mesmo debaixo do seu nariz, sem que disso se aperceba. Veja os Exemplos 1 e 2, que lhe apresentamos em caixas separadas.
António Monteiro Ferreira, Consultor de referência neste domínio, e “Especialista” consultado pela ITChannel para a realização deste artigo – a quem agradecemos os inestimáveis conselhos e exemplos facultados que o possibilitaram – compara a situação da esmagadora maioria das empresas, à “dos indivíduos que, sofrendo de uma maleita específica, consultam um Clínico geral”, que lhes receita uma “panaceia para o sintoma que apresentam, sem procurar conhecer, investigar e aprofundar as causas que estão na sua origem”. E, com grande pertinência, pergunta: “será que a generalidade dos Gestores se permitiria o luxo de gerir os seus negócios sem informação – em tempo real e detalhada – em relação a outros centros de custos das suas empresas?”.

A quanto pode chegar a redução de custos?

Que sucede ao princípio do uso de boas práticas neste ínterim? Estudos independentes demonstram que o mero conhecimento detalhado do consumo energético, por departamento, permite reduzir em 7 por cento os gastos com a Energia. Valor que atinge uns impressionantes 30 por cento de redução nesta rubrica de despesa se esse conhecimento estiver disponível em tempo real. Significativo, não?
Sobretudo depois de conhecer as diversas soluções disponíveis no mercado que, através da “monitorização e controlo”, lhe permitem reduzir de forma substancial esta parcela da Despesa, libertando verbas que, com muito maior retorno, poderão ser afectadas ao core business da empresa, leia-se às Vendas, ao Marketing, à Inovação, ou onde for melhor aplicado.
Neste “A Fundo” damos-lhe a conhecer as diferentes abordagens de três distintos players nesta “arena” prenhe de oportunidades de negócio, pouco, e mal, explorada e que oferece “argumentos de vendas” tão eloquentes como os, meros exemplos, que lhe apresentamos acima. Em foco estão as propostas de Eaton, Schneider Electric e Socomec.

Identificar e Eliminar o Desperdício

Mas, como pode uma empresa optimizar a utilização dos seus recursos energéticos se não mede, regularmente e com exactidão, como estão a ser gastos e a que nível?
Actualmente, o consumo energético – desde a iluminação e motores eléctricos a equipamentos de AVAC, caldeiras, etc. – pode ser optimizado de forma a diminuir de forma significativa perdas financeiras e de recursos. Com o controlo e monitorização adequados, uma instalação média pode reduzir o consumo entre 10 a 20%.
Sistemas de motores eléctricos, de medição e de gestão energética e soluções de automatização são fulcrais, não só para a redução do consumo energético na indústria e em infra-estruturas mas especialmente, para um dispêndio inteligente.
A indústria, e as empresas em geral, devem encarar a optimização da utilização dos recursos energéticos sob o ponto de vista activo, mas também passivo. Se a actuação no modo como a energia é utilizada influencia a sua eficiência, a actuação directa na estrutura dos edifícios e equipamentos indispensáveis à sua actividade dita na mesma medida, ou até em medida superior, o consumo de energia e custos – económicos e ambientais – associados.

Nos últimos anos temos assistido ao aumento da utilização de sistemas de automação em edifícios de serviços pela sensibilização para os claros benefícios que este tipo de sistemas pode trazer em termos de ambientais, de conforto e segurança, bem como o seu contributo na gestão e economia de energia.
Indústria e outros sectores de actividade
A forma de consumir energia varia de acordo com o sector de actividade. Porém, é peremptória a necessidade comum de eliminar o nível de energia desperdiçada diariamente. É necessário fazer mais com os mesmos recursos. É indispensável uma gestão inteligente. Instalações supérfluas de iluminação, calefacção e ventilação devem ser evitadas, tal como instalações adicionais tipo extractores de ar ou de fumo – desde que de forma responsável, não incorrendo em riscos de segurança. O fornecimento contínuo de ar comprimido, correias transportadoras ligadas quando vazias, circulação desnecessária de óleos e agentes refrigerantes, e assim por diante, são apenas alguns dos muitos exemplos de desperdício que podem ser identificados e revertidos através de medições inteligentes.

Dois terços de toda a energia eléctrica consumida pela indústria são utilizados para o funcionamento de motores eléctricos. Esta afirmação é verdadeira no caso de praticamente todos os países industrializados no mundo inteiro. Também é verdade que na maioria dos países apenas cerca de 10% destes motores são controlados.
Basicamente, a responsabilidade pelo consumo energético na indústria deve ser uma função da área de gestão da fábrica ao invés de uma função da gestão do edifício. A maioria das empresas preocupa-se em produzir mais, independentemente do aumento do consumo energético, quando se deviam concentrar em produzir o máximo possível com os recursos que já têm disponíveis.
Uma solução adequada permite facilmente o controlo e monitorização rigorosos através da disponibilização de ferramentas como a monitorização online de consumos de energia, históricos de consumo, relatórios semanais, mensais e comparativos, análise de tendências, simulação e análise de facturas, alarmes e acontecimentos, alocação de custos, vigilância em tempo real, comando manual ou automático de cargas, análise de qualidade de energia e apoio remoto de especialistas.

Aumentar a Eficiência Energética

Para melhorar os níveis de eficiência energética, as empresas devem medir – nunca é aconselhável modificar factores que não foram medidos, devem basear-se na energia realmente necessária em virtude da automatização e do controlo, assim como, melhorar regularmente os processos para um desempenho uniforme por meio de serviços de monitoramento e manutenção.
As empresas devem ter em mente que existem sistemas de medição de fácil instalação, com baixos custos de implementação e rápido retorno do investimento, sendo que a automatização robusta, o controlo e a monitorização do uso energético podem gerar até 30% de economias de energia.

Os profissionais do sector sabem que não é possível gerir o que não é medido. Ou seja, a medição é o primeiro passo, essencial para evitar o desperdício energético e para alterar hábitos e comportamentos.

Ferramenta gratuita avalia eficiência dos Centros de Dados
O Quociente de Eficiência da Schneider Electric™ fornece uma forma simples para os gestores de Centros de Dados e de TI perceberem melhor onde e como aumentar a eficiência e reduzir as suas faturas de energia.

A Schneider Electric, especialista global em gestão de energia, apresenta o Coeficiente de Eficiência para Centros de Dados ™, uma ferramenta online e gratuita que permite auscultar a sua eficiência. Esta ferramenta traduz-se numa forma simples para os gestores de centros de dados e de TI perceberem melhor onde e como reduzir as suas facturas de electricidade e aumentar a eficiência.
O simples preenchimento de um questionário online, faculta o seguinte:
• Uma pontuação numa escala de 1 a 5, que define quais as áreas que necessitam de ser melhoradas;
• Dados comparativos do seu Centro de Dados com os de empresas semelhantes;
• Recomendações passo-a-passo para reduzir os custos de energia e melhorar a eficiência;
• Acesso a soluções para Centro de Dados e a soluções EcoStruxure™.
Este questionário permite tomar as decisões adequadas e escolher as melhores soluções, evitando passos em falso ou pequenas alterações na infra-estrutura que podem não surtir o efeito desejado e acabar por gastar ainda mais energia. Para aceder ao Quociente de Eficiência para Centros de Dados da Schneider Electric aceda a http://goo.gl/NzlJ7Y.

Área de negócio de qualidade e continuidade de energia
A Eaton Power Quality Division, uma parte do sector eléctrico tem mais de 45 anos
de experiência na concepção e produção de produtos inovadores de qualidade e continuidade de energia. O resultado é uma abrangente gama de produtos que ajudam a proteger os processos, aplicações e sistemas críticos para o negócio dos clientes contra todos os problemas e falhas de energia.
Gama de produtos e serviços da Eaton
• UPS AC desde 500 VA até 1100 kVA
• Um abrangente leque de unidades de distribuição de energia em rack (ePDUTM)
• Monitorização ambiental de racks
• Produtos de software e de conectividade para gestão de energia e controlo remoto
• Sistemas DC de todos os tamanhos
• Suporte técnico e manutenção
• Soluções completas de qualidade e continuidade de energia
A Eaton é líder tecnológico global em componentes e sistemas eléctricos para a qualidade, distribuição e controle de energia; componentes hidráulicos, sistemas e serviços para equipamentos industriais e móveis; combustível aeroespacial, sistemas hidráulicos e pneumáticos para utilização comercial e militar; e sistemas de transmissões para performance, economia de combustível e segurança para camiões e automóveis. Actualmente conta com aproximadamente 102.000 empregados e vende os seus produtos em mais de 175 países.

Tempo Operacional, Sustentabilidade e Energia
Com uma forte presença internacional em mais de 70 países e filiais em 17 países, a SOCOMEC é uma empresa de destaque no mercado global de equipamentos eléctricos. Sob esta marca há uma gama de produtos e serviços que responde a todas as necessidades de qualidade e alimentação contínua de energia eléctrica: UPS, alimentação de energia segura, sistemas estáticos de transferência, equalizadores de harmónicas, rectificadores, conversores DC/AC, abrangendo uma vasta gama de aplicações para todos os sectores de mercado.
Competências
• Continuidade de Negócio
- Protege servidores de empresas blue-chip em todo o mundo;
- Até 4.800 kVA de paz de espírito graças à vasta gama de UPS, 
STS, software de monitorização e gestão;
- Líder europeu na produção de Sistemas de Transferência
Estáticos desde 1987 e de UPS desde 1968;

• Gestão de Energia

- Completa gama de sistemas de comutação e protecção
disponível no mercado;

- Soluções completas para alimentação de Processos Críticos e Dispositivos de Emergência em AC ou DC;

- Consolidação de parcerias com empresas líderes em Refrigeração de Precisão, Distribuição Eléctrica e Grupos Geradores.

• Qualidade Energética

- Elevada disponibilidade de energia eléctrica em arquitectura 6-nine;
- Fácil de utilizar e resiliente a erro humano;
- Parceiro Industrial da LE (Leonardo Energy).

Recomendado pelos leitores

O negócio não pode parar
A FUNDO

O negócio não pode parar

LER MAIS

Cloud híbrida e multicloud em destaque na edição 83 do IT Channel
A FUNDO

Cloud híbrida e multicloud em destaque na edição 83 do IT Channel

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 83 DEZEMBRO 2021

IT CHANNEL Nº 83 DEZEMBRO 2021

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.