2017-1-04

NEGÓCIOS

Quase metade das empresas falharam migração de dados em 2016

O tecido empresarial ainda não atingiu um nível de maturidade adequado nas suas estruturas de IT: cerca de 44% das empresas que procederam à migração dos dados experienciaram falhas, enquanto 70% não calculam o custo médio do tempo de inoperabilidade que atrasa decisões críticas para o negócio

De acordo com os dados do relatório da Vision Solutions, tornados públicos pelo seu parceiro de negócios Cesce SI, e que inquiriu mais de dois mil CTOs, CIOs, e outros líderes de IT em todo o mundo, o nível de maturidade das empresas em relação à migração e recuperação de dados ainda se encontra muito aquém daquele que seria desejado, tendo em conta a velocidade a que a tecnologia avança.

O State of Resilience Report de 2016 oferece uma perspetiva global das tendências atuais nas áreas da migração, HA/DR, cloud, e partilha de dados, analisando comparativamente os mercados da América do Norte, América Latina, Europa, África e Médio Oriente. Este ano, o relatório inclui também perspetivas dos serviços profissionais, incluindo uma lista dos desafios que os líderes das TI enfrentam quando alinham as suas estratégias com os objetivos das suas organizações. Os principais desafios referidos são proteger e recuperar volumes de dados cada vez maiores, como utilizar melhor a cloud, e como minimizar a percentagem de migrações falhadas, cuja tendência continua a ser para aumentar.

Segundo o estudo, embora os avanços tecnológicos ocorram a uma velocidade elevada, quase metade (44%) dos líderes de TI experimentaram uma migração falhada. Além disso, a percentagem de organizações que experimentaram uma migração falhada aumentou mais de 20% entre 2014 e 2015.

Os líderes ainda não estão alertados a cem por cento acerca dos custos associados ao tempo de inoperabilidade, facto identificado por uma foret percentagem de 70% dos auscultados, enquanto 85% referiram não ter um plano de recuperação ou não estar totalmente confiantes de que o seu plano de recuperação será completo.

Apesar de algumas empresas terem implementado melhores planos de HA/DR, os inquiridos referiram uma maior perda de dados do que no ano anterior, demonstrando que o ritmo a que as bases de dados estão a crescer está a superar a implementação de soluções de HA/DR mais eficazes.

Cerca de 25% dos auscultados  indicaram que os seus planos futuros para a proteção de dados irá incluir serviços de terceiros, como sejam serviços geridos, cloud, e DRaaS.

De acordo com as respostas dos líderes de IT, quando as migrações falham, mais de metade (58 por cento) dos profissionais de TI na América Latina incorrem em tempo de inoperacionalidade superior ao esperado, comparado com 42 por cento na América do Norte e apenas um pouco mais de um terço (38 por cento) na Europa, Médio Oriente e África.

“Mesmo um desequilíbrio no sistema de TI – incluindo dados, aplicações, hardware, redes, software exterior e parceiros – pode fazer a diferença entre o sucesso e o insucesso de uma organização”, refere Alan Arnold, vice-presidente executivo e CTO da Vision Solutions. “Num mundo em que a visibilidade dos dados é determinante para o crescimento do negócio, é essencial que os líderes de TI façam uma análise e identifiquem as melhores ferramentas e soluções para assegurar a resiliência”.

Recomendado pelos leitores

Que tecnologias vão marcar 2017?
NEGÓCIOS

Que tecnologias vão marcar 2017?

LER MAIS

Mais de metade dos portugueses já trabalham remotamente
NEGÓCIOS

Mais de metade dos portugueses já trabalham remotamente

LER MAIS

Divultec cresce 43% em 2016
NEGÓCIOS

Divultec cresce 43% em 2016

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 35 março 2017

IT CHANNEL Nº 35 março 2017

VER EDIÇÕES ANTERIORES