2020-2-07

SEGURANÇA

Advertorial

A importância dos MSP para implementar soluções de cibersegurança à medida das necessidades das PME

Os MSP avaliam a “maturidade tecnológica” das empresas e são capazes de lhes oferecer soluções personalizadas e ajustadas às suas necessidades

Alfonso Ramírez, Diretor Geral da Kaspersky Ibéria

Todos nós conhecemos a sensação de vestir uma peça de roupa que não corresponde ao nosso tamanho. O design, a cor e a qualidade do tecido até podem ser excelentes, mas a peça não se ajusta ao nosso corpo, o que nos deixa desconfortáveis. Ou porque as mangas são longas demais, ou porque ficamos com os ombros apertados – o que nos retira liberdade de movimentos – ou porque a cintura não assenta onde devia. 

Esta situação tão comum também se aplica ao mundo dos negócios: quando uma empresa ocupa um escritório que é pequeno face às suas necessidades; quando o seu espaço de trabalho não inclui salas de reunião em número suficiente; quando se vê obrigada a pagar por um estacionamento que é demasiado grande para o número de colaboradores. Ou então… quando não sabe como abordar a questão da segurança de informação – isto admitindo que nem sempre é fácil para uma organização escolher as soluções mais adequadas para manter uma gestão segura.

É nesta fase – do desconhecimento – que o papel dos MSP de cibersegurança (fornecedores de serviços externos) se torna ainda mais fundamental, sendo necessário a sua resposta efetiva às necessidades específicas e à estrutura de negócio de cada cliente. Os MSP avaliam a “maturidade tecnológica” das empresas e são capazes de oferecer-lhes ferramentas personalizadas.

Importante salientar: ao referir-nos as empresas, abrangemos quer pequenas como grandes organizações, pois ambas são potenciais alvo para ataques de hackers. A diferença é que nem sempre as empresas de menor dimensão dispõem dos recursos para fazer face às ameaças informáticas, sendo, no seu caso, ainda mais premente que os MSP atuem como consultores, com o objetivo de disponibilizarem os serviços de segurança mais simples e eficientes, que simultaneamente não afetem a sua produtividade.

Por exemplo, uma pequena empresa que fabrica e vende a sua própria marca de roupa e que empregue no máximo 50 pessoas, mas cujos colaboradores passam bastante tempo fora do escritório (no contacto com fornecedores, na comercialização em pontos de venda, na supervisão do processo de fabrico, etc.), é natural contratar um serviço de IT externo. Neste caso, o MSP será responsável pela instalação de aplicações e softwares nos dispositivos da empresa, pela verificação das atualizações dos programas e, geralmente, por oferecer uma solução compacta e acessível na cloud, pois esta requer menos esforços de gestão. 

Já diz o ditado que mais vale prevenir do que remediar. Este é um dos lemas que melhor se aplica à área da cibersegurança: afinal, as PME correm o risco de perder até 120 mil dólares (quase 110 mil euros) em resultado de um episódio de violação de dados, gastos na sua maioria na resolução de danos à reputação, pagamento de multas e indemnizações aos lesados. Se tempo é dinheiro, então as empresas devem estar cada vez mais preparadas (e protegidas) contra incidentes relacionados com a segurança de informação. Mais ainda porque a paralisação de uma organização, em específico causada por uma ameaça à cibersegurança, implicará sempre custos e perdas para a mesma. 

Focada em oferecer as melhores soluções para os Parceiros de Canal, a Kaspersky lançou há um ano o Kaspersky United Partner Portal – o Programa para MSP que lhes permite concentrarem-se na venda de serviços e produtos que melhor correspondem às suas especializações. Nesta plataforma, os fornecedores de IT têm acesso a materiais de educação e formação, ferramentas de marketing e vendas, bem como a um esquema transparente de recompensas monetárias. O Kaspersky United foi desenhado precisamente a pensar numa conjuntura onde as empresas exigem cada vez mais soluções de cibersegurança adaptadas às suas necessidades, objetivos e recursos. 

Ainda este mês, a Kaspersky atualizou o programa, com o lançamento de uma ferramenta adicional.

Kaspersky License Management Portal (LMP), disponível no Kaspersky United, surge como um novo portal “self-service” para MSP e revendedores, criado com o objetivo de ajudá-los a otimizar pedidos e a gerir todas as subscrições de produtos (aumentando ou diminuindo o número de subscrições de acordo com as suas necessidades), a partir de um só local, com a vantagem de que disponibiliza ainda um plano de pagamento “pay-as-you-go” (ou seja, os MSP apenas pagam pelos serviços que efetivamente utilizam em cada mês).

Os MSP são uma prioridade estratégica para a Kaspersky, que está cada vez mais focada em reforçar o seu ecossistema de Parceiros, desde logo porque a gestão de serviços é uma das tendências para 2020 no mercado de IT. Como mostram os dados da Ami Partners, houve um crescimento de 48 mil empresas de MSP em 2016 para 74 mil empresas previstas em 2021. 

 

Conteúdo co-produzido pela MediaNext e pela Kaspersky

TAGS

Kaspersky

Recomendado pelos leitores

Cinco conselhos de cibersegurança para todos os tipos de utilizadores
SEGURANÇA

Cinco conselhos de cibersegurança para todos os tipos de utilizadores

LER MAIS

Reveladas meio milhão de passwords de servidores, routers e dispositivos IoT
SEGURANÇA

Reveladas meio milhão de passwords de servidores, routers e dispositivos IoT

LER MAIS

Claranet lança serviços de cibersegurança avançados
SEGURANÇA

Claranet lança serviços de cibersegurança avançados

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 64 FEVEREIRO 2020

IT CHANNEL Nº 64 FEVEREIRO 2020

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.