Sara Moutinho Lopes em 2018-6-01

NEGÓCIOS

Análise

Sage reforça estratégia "partner first" para o segmento de enterprise

A Sage reuniu mais de 300 Parceiros no Sage Enterprise Management Partner Summit, em Sevilha, onde deixou evidente uma reforçada aposta no segmento de enterprise e o anúncio do modelo de implementação Fast Start para o Sage Business Cloud Enterprise Management

Jennifer Warawa, EVP de Partners, Accountants & Alliances, da Sage.

O Sage Enterprise Management Partner Summit passou por Sevilha, Espanha, de 2 a 4 de maio, e juntou 300 Parceiros de mais de 19 países, entre os quais ISVs e VARs. No evento, o fornecedor de software de gestão enfatizou a estratégia “partner first”, com enfoque na angariação de mais Parceiros e a prioridade de crescer a dois dígitos no enterprise, nos vários mercados onde atua.

Só na Península Ibérica, a Sage tem mais de 3 mil Parceiros e 15 mil clientes neste segmento de mercado, formado por médias e grandes empresas. A Sage pretende distinguir-se pela inovação tecnológica e pelo relacionamento com os Parceiros, apontados como o principal motor de crescimento. “O mercado de enterprise representa um investimento bastante importante para a Sage”, revelou ao IT Channel Luis Pardo, CEO da Sage Iberia. Em Portugal, o fornecedor de software de gestão tem uma maior expressão no mercado de SMB, e pretende agora conquistar mais presença no enterprise, mais concretamente entre as médias e grandes empresas. “O mercado português está a crescer e a Sage, que já tem uma posição bem assente no entry level, quer escalar o seu posicionamento e está a avançar muito rapidamente”, disse-nos Josep María Raventós, country manager da Sage Portugal. Este avanço mais célere, nas grandes contas, até à data, “deve-se a Parceiros extremamente bem preparados e com bastante experiência”.

Cloud ainda é desafio para os Parceiros

Embora pretenda aumentar o número de Parceiros, tanto em Portugal como a nível global, a Sage está, sobretudo, empenhada em ter “o melhor ecossistema de Parceiros”, disse ao IT Channel Jennifer Warawa, EVP de Partners, Accountants & Alliances, da Sage. “Preocupamo-nos em estar ao lado deles, em perceber como está o seu negócio a correr, e em que áreas estão a sentir maiores dificuldades, para os podermos ajudar”, explicou-nos. A Sage aposta num programa de Canal pleno de incentivos financeiros, formações, recursos de marketing e vendas, entre outros recursos. “Se mantivermos a nossa base instalada de Parceiros motivada, será mais fácil atrair novos Parceiros para o nosso ecossistema”, sublinhou a responsável global pelo Canal da Sage.

A cloud é central na estratégia da Sage, que está a evoluir a sua oferta em direção a este modelo de entrega. Porém, para os Parceiros, “a migração para a cloud ainda é um desafio”, segundo Jennifer Warawa, existindo ainda uma fatia destes “que não estão preparados”. A transformação do Canal não será imediata e, para garantir que conseguem manter a compensação financeira perante esta nova forma de comercialização, a Sage estabeleceu um modelo que se adapta às especificidades de cada país onde atua e que visa assegurar que as margens não ficam comprometidas com a cloud. “A maior mudança trazida pela venda de soluções cloud é a alteração para modelos de subscrição. Os Parceiros estavam acostumados a vender produtos e a receber o valor total pela venda de determinado produto. Com a cloud, o valor é diluído mensalmente, o que pode ser uma preocupação para os Parceiros”, explicou-nos. As grandes empresas estão mais recetivas à adoção da cloud – nestas, confirmou Josep María Raventós, a migração para a cloud “está muito avançada”. Para a Sage, porém, já não faz sentido que as empresas, qualquer que seja a sua dimensão, tenham os seus processos totalmente on-premises. “Temos soluções para cloud híbrida e outras cem por cento cloud, que evoluem de acordo com a transformação do negócio dos clientes”. O country manager não deixou margem para dúvidas: o grande objetivo da Sage é “contribuir para uma transformação dos negócios sem disrupção”, de modo a que estes não fiquem em risco.

Fast Start chega à Sage Business Cloud Enterprise Management

Para motivar as empresas a apostarem na cloud, a Sage anunciou que o Sage Business Cloud Enterprise Management terá um modelo de implementação via Canal, o Fast Start, desenhado para permitir que os Parceiros entreguem projetos de uma forma mais rápida. Os clientes que escolhem o Enterprise Management com o Fast Start podem começar a utilizá-lo em apenas dois meses, de acordo com a Sage, beneficiando de redução dos custos iniciais através da adoção de um processo padrão e de uma solução pré-configurada.

Também beneficiam de todas as funcionalidades de produto dos módulos principais do Sage Enterprise Management em menos tempo – com a possibilidade de adicionar novos módulos à medida que a empresa cresce. O Sage Business Cloud Enterprise Management é uma plataforma cloud que reúne, numa única localização, a oferta de soluções e produtos cloud da Sage, desde soluções de administração e gestão financeira a software específico para gestão empresarial, sendo uma das principais apostas da Sage.

Parceiros portugueses privilegiam cultura de proximidade

Durante a sessão de abertura do Sage Enterprise Management Partner Summit, Jennifer Warawa disse que, mais do que partilhar novidades, a Sage pretendia “escutar os Parceiros e conhecer as suas necessidades”. O evento contou com a presença de 25 Parceiros portugueses, entre eles a Procensus, que trabalha com o fornecedor desde 2015. “Encontrámos na Sage uma oportunidade para liderar no mercado nacional, nomeadamente em relação ao segmento das médias e grandes empresas”, revelou-nos André Coutinho, partner da Procensus.

A Procensus valoriza a prioridade que o fornecedor dá aos seus Parceiros. “Temos sentido que existe uma enorme recetividade por parte da Sage para ajudar-nos a atingir os nossos objetivos e a crescer”, referiu. “No ano passado conseguimos alcançar 50% de exportação e queremos este ano manter esta tendência”. Com uma área de negócio totalmente dedicadas a Sage X3, a Procensus desenvolveu a App for Sales, uma web app de autovenda que se integra com o X3 e facilita o registo de processos de venda. “A Sage tem uma plataforma aberta, o que nos deu a oportunidade de desenvolver ad-ons e verticais dentro da mesma, que se adaptem às especificidades dos nossos clientes”, explicou Bruno Marques, head of business development da Procensus. “Por sermos o primeiro Parceiro ISV da Sage, em Portugal, conseguiremos certamente diferenciar a nossa oferta no mercado”, salientou.

João Marçal, executive manager da F5 IT, que trabalha com a Sage há mais de dez anos, disse ao IT Channel que uma das principais vantagens de ser Parceiro Sage é “a relação de proximidade” mantida pelo fornecedor. Além do mais, acrescentou Luís Lopes, executive manager, “a Sage aposta muito na inovação e consegue manter-se na vanguarda”. A F5 IT tem projetos implementados com tecnologia Sage em Portugal, Espanha, França, Reino Unido, Angola e Brasil. Com a Sage, a F5 IT já desenvolveu projetos de mobilidade, como a Sales App, que se integra com o Sage X3.

Recomendado pelos leitores

Digital Workplace: 7 tecnologias que vão generalizar-se nos próximos 5 anos
NEGÓCIOS

Digital Workplace: 7 tecnologias que vão generalizar-se nos próximos 5 anos

LER MAIS

Como manter os millennials felizes no local de trabalho?
NEGÓCIOS

Como manter os millennials felizes no local de trabalho?

LER MAIS

E se uma inteligência artificial gerisse a climatização do data center?
NEGÓCIOS

E se uma inteligência artificial gerisse a climatização do data center?

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 50 Setembro 2018

IT CHANNEL Nº 50 Setembro 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.