Sara Moutinho Lopes em 2018-10-03

NEGÓCIOS

Análise

PCs dual screen: de tendência a mudança de paradigma?

Estes dispositivos caraterizam-se por, no lugar do teclado, incorporarem um ecrã tátil que abre portas a todo um novo conjunto de ferramentas de utilização. Serão a próxima tendência?

Yoga Book C930

Em 1983 aparecia o Gavilan, desenhado por Manuel Fernandez, fundador da Gavilan Computer Corp. Equipado com o processador Intel 8088 de 5Mhz e uma unidade de disquete, o Gavilan foi identificado pela maioria dos historiadores na área de PCs como o primeiro dispositivo a ser considerado um laptop. Foi o primeiro a ser vendido como um computador portátil e foi revolucionário no ano do seu lançamento.

Muito mudou desde então. Nos últimos anos a prioridade tem sido que os dispositivos sejam mais rápidos, finos e leves. Agora o foco das marcas voltou-se para a interação entre os utilizadores e os equipamentos. Mais do que oferecer uma interface intuitiva, as apostas estiveram nos últimos anos voltadas para uma interação onde o utilizador pudesse falar com o seu dispositivo, que lhe oferecia os serviços de um assistente pessoal, um virtual personal assistant (VPA).

A Apple foi a grande pioneira da popularização dos VPA, em 2011, através da SIRI, um bot disponível 24/7 para responder a todas as questões dos utilizadores. Não muito tempo depois assistimos à ascensão dos VPA através de outros gigantes tecnológicos como a Google, com o Google Now, a Microsoft com a Cortana e a Amazon com a Alexa.

Um novo paradigma para a interação

A popularização dos VPA nos PC foi certamente disruptiva e representou um enorme marco na forma como interagimos com os nossos dispositivos. Seria de esperar que, nesta vertente da interação, não houvesse muito mais por explorar. Porém, as marcas não acharam o mesmo
e descobriram que aquilo que os utilizadores mais procuram são equipamentos cada vez mais multifacetados, capazes de estar à altura de uma utilização doméstica ou profissional.

Para conseguirem responder a esta procura, a indústria começa agora a desenvolver PC dual screen. No lugar do típico teclado, estes PC apresentam “um ecrã tátil que permite escrever tal como um teclado normal, permite escrever e desenhar como se estivesse a escrever numa folha de papel em branco, e pode ainda ser utilizado para consulta de documentos”, explica Rui Gouveia, Channel Sales representative da Lenovo Portugal.

Duplo ecrã, dupla produtividade

Mas quais as vantagens de, em vez do teclado tradicional, ter mais um ecrã? Para Pedro Coelho, lead de Computação Pessoal na HP Portugal, a resposta está na produtividade que este tipo de equipamentos oferece. “É conhecido que trabalhar com mais do que um monitor, ou área de trabalho, permite alcançar ganhos de produtividade entre 20% a 40%”, comenta. “Consequentemente, é interessante que seja possível ter essas duas áreas de trabalho em qualquer momento, independentemente do local onde estamos”.

Esta necessidade é ainda mais premente para a nova geração empresarial, em que o local de trabalho pode estar, como lembra, Rui Gouveia, da Lenovo, “em qualquer lugar, desde casa ao escritório, um café ou avião”. Identificados pela Lenovo como “a próxima geração de computação móvel”, os PC dual screen prometem uma flexibilidade de utilização inigualável.

Porém, embora reconheça as múltiplas vantagens para os utilizadores, Pedro Coelho, da HP, adverte que “ainda é preciso avaliar o custo desta tecnologia, o peso adicional que esta solução poderá trazer ao equipamento e o possível impacto na autonomia da bateria”.

Os PC dual screen são, por enquanto, uma tendência que fabricantes como a Lenovo, a HP e a ASUS querem tornar uma realidade. No caso da Lenovo, com o Yoga Book C930, o fabricante quer redefinir por completo os conceitos de produtividade e criatividade. Também a ASUS, com a família ZenBook Pro, que inclui o ScreenPad, um touchpad inteligente incluído no ZenBook Pro 15 e no ZenBook Pro 14, que pretende alterar a forma como os utilizadores interagem com os equipamentos, facultando-lhes um segundo ecrã interativo.

Recomendado pelos leitores

Princípio de Peter comprovado - promovemos pessoas até ao seu grau de incompetência?
NEGÓCIOS

Princípio de Peter comprovado - promovemos pessoas até ao seu grau de incompetência?

LER MAIS

Escassez de profissionais - desafios de recrutar em IT e a importância de reter talento
NEGÓCIOS

Escassez de profissionais - desafios de recrutar em IT e a importância de reter talento

LER MAIS

TP-Link Portugal anuncia crescimento de 25%
NEGÓCIOS

TP-Link Portugal anuncia crescimento de 25%

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 51 Outubro 2018

IT CHANNEL Nº 51 Outubro 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.