2020-2-09

NEGÓCIOS

Coronavírus já faz vitimas nos grandes eventos

Os receios de propagação do coronavírus já estão a levar ao cancelamento de megastands em eventos europeus, como é o caso de 50 empresas no ISE 2020 incluindo a LG, ou a Ericsson no MWC. Este é seguramente apenas o início de um impacto maior.

O RAI de Amesterdão, recinto do ISE 2020, tenta sensibilizar os visitantes para não viajar para os seus eventos se apresentarem sintomas de gripe

O Integrated Systems Europe (ISE) fez saber este domingo que são mais de 50 as empresas que não vão abrir os seus stands ao público, maioritariamente expositores de origem asiática, o mais relevante dos quais a LG Electronics.

O ISE é o segundo maior evento europeu de tecnologia em numero de visitantes (90,000) , apenas superado pelo MWC em Barcelona, e ambos já estão a ser vitimas de cancelamentos por parte de expositores e visitantes.

A LG já tinha anunciado na passada sexta-feira que, devido ao surto de coronavírus, se decidiu ausentar do ISE, que começa esta semana no RAI de Amesterdão e onde tinha um dos maiores stands desta gigantesca feira. 

Em comunicado, a empresa afirmou que, após a declaração da Organização Mundial de Saúde (OMS) de que o surto de coronavírus é uma emergência de saúde pública internacional, se decidiu retirar do evento. 

"A LG lamenta ter que tomar essa decisão difícil, mas a segurança de seus colaboradores e clientes continua sendo sua prioridade número um", afirmou a empresa. "Com a recomendação da OMS para que as pessoas promovam o distanciamento social,  a LG acredita que a decisão mais responsável é evitar a participação em grandes eventos públicos até que a situação se estabilize". 

 

Parte do gigantesco stand da LG no ISE em 2018

Alguns dias após a LG anunciar que também não iria ao MWC de Barcelona no final deste mês, também devido a preocupações em torno do coronavírus, a Ericsson segue o mesmo caminho, apontando as mesmas razões de segurança dos seus colaboradores. 

Outras empresas estão também a reduzir presenças em eventos internacionais e a diminuir o número de colaboradores deslocados. 

Só neste primeiro semestre de 2020 ( período que os especialistas consideram de maior propagação do vírus) a agenda mundial tem mais de 120 eventos internacionais de grande dimensão na área das TI, parte dos quais em países orientais, e será previsível que alguns destes sejam suspensos, e outros vejam reduzidas as presenças de expositores, congressistas e visitantes.

Empresas como a Microsoft, a Google e a Apple estão a proceder à revisão de viagens de colaboradores, para já apenas  para  a Ásia. Tim Cook, CEO da Apple comunicou numa call com analistas, que as viagens ao oriente estão agora restringidas apenas a "business-critical situations". 

Visto que já estão registados casos de contágio entre europeus que não saíram do continente, é provável que nos próximos meses se verifiquem alterações no dia-a-dia interno das multinacionais, que se caracteriza por viagens constantes dos seus executivos entre filiais.

Seguramente o uso de videoconferência e outras plataformas colaborativas vai aumentar como alternativa à constante exposição dos colaboradores aos riscos associados aos aeroportos e aviões, até que a situação de saúde pública seja revertida.

Recomendado pelos leitores

Confinamento: TIC escapam ao lockdown - Atualizado
NEGÓCIOS

Confinamento: TIC escapam ao lockdown - Atualizado

LER MAIS

Pontual cria roadmap de transformação digital para apoiar escritório de contabilidade
NEGÓCIOS

Pontual cria roadmap de transformação digital para apoiar escritório de contabilidade

LER MAIS

Quidgest vai formar 250 pessoas em engenharia de software
NEGÓCIOS

Quidgest vai formar 250 pessoas em engenharia de software

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 73 DEZEMBRO 2020

IT CHANNEL Nº 73 DEZEMBRO 2020

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.