2017-3-07

NEGÓCIOS

Aposta na Huawei assegura bom desempenho da DOIS

A DOIS duplicou o número de clientes em 2016 e registou um aumento do número de projetos em novas áreas de negócio, fruto da forte aposta na parceria com a Huawei, que em 2017 celebra três anos

O ano de 2016 foi sinónimo de transformação para a portuguesa DOIS, a começar pela mudança de identidade, acompanhada de uma nova imagem. Para trás ficou a designação 2VG e o objetivo, justifica Miguel Luz Pinto, CEO, era o de “catapultar a empresa para outros projetos”. Uma meta cumprida, dado que o ano passado a DOIS duplicou o seu número de clientes e registou um aumento do número de projetos em novas áreas de negócio, e não apenas em virtualização, o core business original. “O ano de 2016, não faturando tanto como em 2015, revelou-se extremamente positivo, mesmo a nível de EBITDA”. O ano ficou ainda marcado pela obtenção da certificação ISO 90001. “Era um passo estratégico, porque necessitávamos de uma ferramenta que nos permitisse dar determinadas garantias aos clientes. Este ano procuramos a 140001”.

Além da virtualização

O balanço positivo e a própria reinvenção da DOIS estão diretamente relacionados com a consolidação da aposta na parceria com a Huawei, que data de 2015. “A DOIS está fortemente comprometida com a Huawei e a parceria levou-nos a repensar todo o nosso portfólio e a nossa oferta de serviços”, realça Miguel Luz Pinto. “Também levou a que incorporássemos pessoas com capacidade de negócio, nomeadamente um diretor comercial”. Hugo Pires, que ocupa o cargo, realça que em 2016 a DOIS construiu pela primeira vez um data center modular Huawei de raiz, num cliente de referência no setor dos transportes ferroviários. No setor farmacêutico, implementou uma solução de telefonia com redundância, agregada a uma solução de switching totalmente Huawei. “Para a DOIS é diferenciador, porque tínhamos projetos na área da construção de infraestrutura em data center com múltiplos fabricantes, e não com um único parceiro, como acontece agora com a Huawei”. Com o fabricante, a DOIS acedeu a novos projetos em setores como o farmacêutico, já referido, a banca, o retalho e os serviços. “Tentámos, dentro do nosso portfólio, trazer valor ao cliente e ao seu negócio, aliando o portfólio da Huawei à nossa génese, a virtualização”, reforça o diretor comercial. “O que nos diferencia é o facto de não sobrepormos soluções, na nossa oferta. Não pretendemos colecionar Parcerias”, evidencia Miguel Luz Pinto.

Parceria vale maior quota de mercado

Bruno Santo, enterprise business group director da Huawei, revela ao IT Channel que “a DOIS tem sido um dos parceiros leais à marca” e que o integrador tem ajudado o fabricante a aumentar a sua quota de mercado e a “ganhar referências importantes em diferentes indústrias”, em Portugal. O responsável pelo mercado empresarial aponta que o ano que passou foi de crescimento e fortalecimento da parceria. “A estratégia de crescimento da DOIS está assente na parceria que criou com a Huawei e nesse sentido houve um reforço significativo no número de colaboradores da empresa, de forma a poder fazer face a este desafio. Foram fechados vários projetos importantes que permitiram à DOIS dar um salto qualitativo”. A estratégia de mercado adotada pela DOIS também merece elogios: “A DOIS faz um trabalho de prospeção no mercado privado com uma mensagem muito colada à nossa marca o que nos ajuda a divulgar as nossas soluções, funcionando assim como uma força de vendas da própria Huawei e chegando a mais clientes”. Bruno Santo também valoriza o facto do integrador não ter no seu portfólio nenhum outro fabricante que “colida” com a sua tecnologia. “O primeiro ano de parceria foi de conhecimento mútuo e alinhamento de estratégia, o segundo de crescimento e acreditamos que este será de consolidação da DOIS no mercado e, consequentemente, da parceria com a Huawei”.

Aliar a consultoria à integração

Este é o ano em que a DOIS pretende marcar a diferença com uma abordagem inovadora ao mercado. “Achamos que cada vez mais os integradores têm de fazer um caminho paralelo com as consultoras. Se as trouxermos para dentro deste ecossistema conseguimos garantir que os projetos não param”, revela- -nos Miguel Luz Pinto. A DOIS já iniciou este percurso e está de momento a trabalhar numa parceria com uma empresa de consultoria. “Entendemos que daí poderá vir uma fatia de negócio interessante”. E o que pede, atualmente, o mercado? “Cada vez mais a questão da cibersegurança é algo que preocupa muito as empresas e pode ser uma boa oportunidade para nós, porque as soluções de videovigilância são projetos para os quais deveria haver uma maior sensibilidade, quer por parte do setor público quer do privado”, realça o CEO da DOIS. A área de wireless também é promissora, uma vez que hoje as empresas sentem a necessidade de disponibilizar Wi-Fi aos seus clientes. “Retalho, transportes e saúde procuram bastante estas soluções”, indica Hugo Pires.

Novas contratações

Mais e novos projetos exigem investimento em recursos humanos. A equipa da DOIS é atualmente composta por mais de 20 colaboradores. Até ao final de fevereiro entrará mais uma pessoa para a equipa de suporte, e ao longo do primeiro trimestre a equipa comercial será reforçada com mais um profissional. A partir do segundo trimestre está prevista a entrada de dois novos elementos para a equipa técnica. Em 2017 o integrador pretende ainda abrir um escritório no Porto.

TAGS

Dois Huawei

Recomendado pelos leitores

CUF confia infraestrutura à NextBITT
NEGÓCIOS

CUF confia infraestrutura à NextBITT

LER MAIS

IBM compra Red Hat por 34 mil milhões de dólares
NEGÓCIOS

IBM compra Red Hat por 34 mil milhões de dólares

LER MAIS

Dicas para brilhar numa entrevista de emprego
NEGÓCIOS

Dicas para brilhar numa entrevista de emprego

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 52 Novembro 2018

IT CHANNEL Nº 52 Novembro 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.