2018-4-02

HARDWARE

Advertorial

Data Centers Empresariais localizados: O futuro passa pela redefinição de eficiências

Recentemente, três grandes transformações agitaram a indústria dos Data Centers. Todas ocorreram rapidamente, surpreendendo muitos proprietários e levantando dúvidas quanto às melhores estratégias de modernização. A chave está na redefinição de eficiências, mas como?

Maria de Lurdes Carvalho, VP Data Center & Industrial Solutions Europe da Schneider Electric

A primeira fase transformacional da indústria de Data Centers envolveu uma consolidação rápida, baseada em centros locais nos quais vários Data Centers de médio porte foram integrados num grande Data Center único. Esta abordagem foi replicada por muitas empresas, em diferentes graus, seguindo-se uma segunda fase: o êxodo em massa de aplicações para a Cloud, deixando para trás milhares de Data Centers localizados.

Hoje, a indústria está a passar pela terceira fase de transformação que implica uma redução de gastos, com o redimensionamento de Data Centers corporativos localizados. A verdade é que as principais tendências de mercado e tecnologia, como a IoT, levaram ao crescimento exponencial da quantidade de dados que necessitam de ser captados, armazenados, analisados e conectados. Esses dados estão a ser analisados por forma a criar valor comercial e vantagem competitiva e, como tal, os analistas preveem um crescimento de 5% nos próximos cinco anos tanto na Cloud como nos Data Centers localizados.

 

Tendências empresariais em Data Center

Do lado empresarial, está a surgir um segundo fator impulsionador: aplicações enraizadas, integradas em vários sistemas de negócio locais, que permanecem imóveis. Estas são aplicações que, do ponto de vista económico, são difíceis de separar por forma a serem levadas para a Cloud e que vários intervenientes consideram mais simples e leves, se mantidas no local a partir do qual estão em crescimento.

Os antigos Data Centers redimensionados são bastante diferentes dos seus predecessores pré-Cloud e, por isso, os processos de gestão e operação são diferentes. A manutenção de Data Centers ineficientes resulta em elevados custos OPEX e exemplo disso são os sistemas de energia e arrefecimento. Embora 50-75% dos servidores possam ter sido deslocados e as aplicações transferidas para a Cloud, os sistemas de energia e arrefecimento permanecem sobredimensionados. Ao reduzir a carga de TI, a utilização de sistemas de energia e arrefecimento pode diminuir até 10%. Porém, a redução dos sistemas de energia e arrefecimento não é proporcional à redução do cenário de TI. Além do mais, a utilização de equipamento sobredimensionado de grande porte não é eficiente energeticamente e a sua manutenção é dispendiosa.

Portanto, o desafio dentro dos Data Centers redimensionados é determinar quais os equipamentos ineficientes, qual o grau de ineficiência e quantificar o peso dessas ineficiências nos custos operacionais.

Assim, uma vez reunidos e analisados os dados, é possível tomar decisões sobre as mudanças a implementar que tornem o Data Center redimensionado mais eficiente.

 

Monitorização e análise são as chaves para a melhoria

As ferramentas de gestão de infraestruturas de Data Centers (DCIM) localizados ou baseados na Cloud podem ajudar a corrigir ineficiências nos Data Centers redimensionados. Ao analisar os consumos de energia de todos os componentes da infraestrutura física, é possível identificar oportunidades de melhoria e estas estratégias são também eficazes no planeamento de capacidade, prevendo quais as necessidades de energia e arrefecimento para atender aos requisitos atuais.

Simultaneamente, estão a surgir novas ferramentas baseadas na Cloud, capazes de captar os dados de desempenho dos ativos da infraestrutura física do Data Center. Isto significa que estes sistemas não só monitorizam remotamente o desempenho dos equipamentos, como realizam diagnósticos preditivos que podem utilizar dados de vários Data Centers semelhantes para criar benchmarking de desempenho mais preciso. Ao registar fatores como a temperatura operacional ou o número de operações de descarga sustentada de baterias – por exemplo no caso de uma UPS – estas análises preditivas demonstrarão quais as probabilidades de falha dentro de uma determinada janela temporal.

Todo este novo conjunto de transformações tecnológicas impõem novas soluções para a Indústria de Data Center, soluções transformadoras e fiáveis que assegurem a prosperidade do negócio que sustentam.

 

Advertorial

Artigo elaborado por Schneider Electric.

Recomendado pelos leitores

Armazenamento primário coloca Infinidat como líder em Quadrante Mágico da Gartner
HARDWARE

Armazenamento primário coloca Infinidat como líder em Quadrante Mágico da Gartner

LER MAIS

O Trabalho Móvel é o novo normal
HARDWARE

O Trabalho Móvel é o novo normal

LER MAIS

Surface Hub 2S da Microsoft já está disponível em Portugal
HARDWARE

Surface Hub 2S da Microsoft já está disponível em Portugal

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 61 OUTUBRO 2019

IT CHANNEL Nº 61 OUTUBRO 2019

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.