2017-12-21

SEGURANÇA

O que esperar da segurança e proteção dos dados em 2018?

O ano de 2017 está a terminar. Para muitos, a altura mais movimentada é o Natal, com negócios de final de ano e orçamentos para o próximo. Mas é também uma boa altura de darmos um passo atrás e refletirmos sobre o futuro. "A mudança é inevitável", refere Ana Oliveira, diretora de marketing da Minitel.

O ano de 2017 foi assustador para a segurança da informação, com uma evolução significativa das ameaças de ransomware, com efeitos devastadores (ex. NoT Petya) e fugas de dados que colocaram em risco informações sensíveis de milhares de utilizadores (ex. Equifax).

A Minitel conversou com os analistas da Webroot sobre o panorama da cibersegurança para o próximo ano. Abaixo pode encontrar as previsões mundiais exclusivas da equipa especialista em pesquisa e análise de ameaças avançadas da Webroot, líder nesta nesta área, antevendo o possível futuro da cibersegurança.

 

Cibersegurança: Previsões para 2018

Malware mais inteligente e as ameaças mais sérias

O ransomware continuará, num futuro próximo, a ser garantidamente o maior risco para as empresas. Os hackers vão continuar a utilizar phishing e a encontrar novas vulnerabilidades para distribuir o ransomware.

As campanhas de malware vão utilizar Inteligência artificial para tomarem decisões de infeção secundária, baseada no que aprenderam nas campanhas anteriores.

Vulnerabilidades de software

As vulnerabilidades que exigem patch vão persistir e tornar-se piores, porque as portas de ataque estão a aumentar devido às apps mobile e à Internet of Things (IoT). Manter os sistemas atualizados aplicando patches de segurança, logo que disponíveis e testados, é cada vez mais importante. A automatização é a melhor resposta.

Necessidade de rapidez

A necessidade de resposta imediata aos ciberataques é mais importante que nunca. Vamos assistir a estes ataques rápidos e as empresas têm de se preparar para implementar plataformas de segurança que permitam uma reação imediata e decisiva.

Ainda não vimos a derradeira perda de dados

Prevemos fugas de dados que abranjam milhões de contas. Provavelmente os dados já foram  comprometidos, mas as organizações afetadas só o vão saber no próximo ano.

O Novo Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) vai definir o ritmo, para melhor ou pior, e as empresas devem preparar-se

As empresas têm de implementar medidas de segurança adequadas atempadamente e evitar entrar em pânico, com reações apressadas e desajustadas, encriptando tudo.

Nem mesmo a segurança biométrica garante a proteção contra os hackers

Iremos ver as primeiras vulnerabilidades baseadas em acesso biométrico, reconhecimento fácil ou impressão digital.

A Mobilidade em primeiro lugar tem elevados custos

Graças à proliferação dos dispositivos móveis e apps, as ameaças direcionadas a este ambiente vão crescer. Assistiremos aos primeiros ataques a dispositivos móveis com caraterísticas “worm”, talvez espalhados por SMS ou MMS.

Cryptomoeda continua a subir

A distribuição de malware vai aumentar, caindo em conjugação com o valor do bitcoin e existirá algum tipo de regulação.

Expansão do mercado da Internet das Coisas, IoT, levará a uma supervisão mais rigorosa dos dispositivos

À medida que a adoção da IoT acelera, também aumentam os riscos de segurança associados. Os dispositivos de IoT que não tenham segurança nativa adequada vão ser o grande alvo dos hackers e em 2018 vamos, provavelmente, assistir a mais e mais ataques dirigidos a estes dispositivos.

Os dados recolhidos dos dispositivos IoT serão agregados e usados para desenvolver uma visão  ainda mais envolvente dos hábitos dos consumidores, constituindo a maior violação da privacidade sem consentimento. 

Prestação de serviços externos

À medida que as ameaças proliferam, requerem maior perícia e ferramentas mais adequadas de resposta. Mais e mais empresas vão chegar à conclusão de que precisam de serviços externos para as proteger. A prestação de serviços geridos vai crescer a um ritmo saudável, criando oportunidades para os prestadores de serviços.

 

Descarregue aqui o mais recente Guia de Soluções da Minitel, onde encontrará as soluções de segurança mais inovadoras de Next Generation, com as ferramentas e técnicas de que precisa para ajudar os seus clientes a ficarem protegidos e a cumprirem o novo RGPD, tendo em conta a atividade, dimensão e os dados que tratam.

 

Conteúdo produzido por Minitel

Recomendado pelos leitores

Criptojacking: a nova mina de ouro do cibercrime
SEGURANÇA

Criptojacking: a nova mina de ouro do cibercrime

LER MAIS

Sophos reforça compromisso com o mercado português de cibersegurança
SEGURANÇA

Sophos reforça compromisso com o mercado português de cibersegurança

LER MAIS

Quase metade das empresas não mudam estratégia de segurança mesmo após sofrerem um ataque
SEGURANÇA

Quase metade das empresas não mudam estratégia de segurança mesmo após sofrerem um ataque

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 49 Julho 2018

IT CHANNEL Nº 49 Julho 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.