2018-3-21

SEGURANÇA

"A Minitel defende uma estratégia eficaz de combate às ameaças internas e proteção dos dados sensíveis"

RGPD, cibersegurança e indústria 4.0 vão impulsionar os investimentos das empresas em 2018. Ana Oliveira, diretora de marketing da Minitel, explica como as soluções do distribuidor permitem dar resposta às grandes oportunidades na área de Enterprise, Indústria e PME

IT Channel - Em que soluções deverão as empresas investir mais em 2018?

Ana Oliveira - As soluções de Data Loss Prevention (DLP) e de Advanced Threat Protection (ATP) estão entre os maiores investimentos que as empresas do segmento enterprise vão fazer em 2018. Segundo o Insider Threat Report 2018, as ameaças internas, tanto maliciosas como acidentais, continuam a ser a grande preocupação dos profissionais de segurança IT e o Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) exigirá maior controlo sobre estes: 90% das empresas confirmam a exposição a ameaças internas e 49% planeiam aumentar os orçamentos em segurança para o próximo ano.

As empresas estão a gastar mais para se protegerem. Mas estão a gastar de forma inteligente?

A deteção e prevenção tornam-se primordiais. A Minitel defende uma estratégia eficaz de combate às ameaças internas e proteção dos dados sensíveis, combinada em três vertentes: prevenção de fugas com DLP DeviceLock, proteção avançada com Webroot NextGen Endpoint Protection e Threat Analyzer combinada com analítica comportamental (UAB) da Veriato, para alertar, prevenir e proteger. As ações apropriadas são variadas. Desde parar as ameaças em tempo real a proteger endpoints na rede, passando por bloquear tentativas de acesso, com Webroot EndPoint Protection. É igualmente importante analisar o tráfego em tempo real, correlacionar a atividade, com o Threat Analyzer, reconhecer e identificar os dados sensíveis. Importa também prevenir fugas de informação, com análise de conteúdo e encriptação de dispositivos, sem interferir com o funcionamento da empresa, que é possível com o DLP comprovado da DeviceLock. E também é fundamental ter visibilidade sobre as atividades dos utilizadores com recurso à analítica comportamental, como a disponibilizada pela Veriato. Estes sistemas são vitais para proteger os dados sensíveis e valiosos das grandes empresas – segurança endpoint avançada e DLP são obrigatórios. Mas, só por si, não informam se um utilizador interno autorizado está a usar os dados. É por isso que na Minitel entendemos que é fundamental associar o UBA (User Behavior Analytics), que monitoriza a atividade, reage de acordo com a situação, e sugere as ações a tomar. As circunstâncias mudam e as pessoas também. Esta é a razão pela qual todos os três sistemas são essenciais - é na sua conjugação que está a eficácia.

O que muda com a indústria 4.0 e quais as oportunidades?

A transformação digital na indústria é um dos maiores desafios da economia portuguesa. Se a isto aliarmos o RGPD, os procedimentos da privacidade de dados têm de ser ajustados. É o momento ideal para a modernização do tecido empresarial industrial. Uma das formas de aumentar a produtividade é a manutenção remota e preditiva, que levanta questões relativas à cibersegurança. Episódios como Petya e WannaCry são apenas a ponta do iceberg de uma atividade cibercriminosa permanentemente dirigida ao roubo de dados, apropriação indevida de segredos industriais e manipulação de máquinas e sistemas. A perda de dados pode ter um impacto devastador sobre a produção. A plataforma Endian Connect é uma solução para a indústria 4.0, integrada com proteção UTM (Unified Threat Management). Inclui todas as funcionalidades numa única plataforma central: direitos de acesso por função, segurança VPN para comunicações remotas e proteção dos dados durante a transmissão. Também abrange proteção da linha de produção, com equipamentos com firewall industrial, Endian 4i, que filtra o tráfego danoso e garante a proteção do fluxo de dados.

E as PME, para onde estão a direcionar os seus investimentos?

O ransomware vai persistir e a conjuntura atual de cibersegurança, cada vez mais complexa, exige uma atualização constante no campo das tecnologias. É preciso pensar de forma diferente e proativamente na proteção das empresas, automatizar tarefas, gerir recursos e contornar as problemáticas de continuidade da atividade e recuperação no caso de incidente. Soluções como a Webroot, a QTrends e a Unitrends respondem a estes desafios. A Webroot, solução de segurança de endpoint inteligente next gen, cloud, simples e eficaz, que monitoriza várias implementações remotas, com análise preditiva e machine learning, permite aos parceiros de managed services (MSPs) gerir todos os clientes numa única consola. Para estarem em conformidade é preciso terem estratégias de disaster recovery (DR) a funcionar e testar em tempo útil a integridade e eficácia da solução. As appliances de backup e continuidade QTrends e Unitrends são fáceis de gerir, escaláveis e automatizadas, com todos os componentes pré-integrados, disponibilizadas num “rack” único para backup, DR, cloud backup, retenção e reporting. Suportam mais de 250 versões de sistemas operativos, hypervisors, virtual machines (VMs), aplicações e garantem maior desempenho e custos menores.

Recomendado pelos leitores

Criptojacking: a nova mina de ouro do cibercrime
SEGURANÇA

Criptojacking: a nova mina de ouro do cibercrime

LER MAIS

Sophos reforça compromisso com o mercado português de cibersegurança
SEGURANÇA

Sophos reforça compromisso com o mercado português de cibersegurança

LER MAIS

Quase metade das empresas não mudam estratégia de segurança mesmo após sofrerem um ataque
SEGURANÇA

Quase metade das empresas não mudam estratégia de segurança mesmo após sofrerem um ataque

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 49 Julho 2018

IT CHANNEL Nº 49 Julho 2018

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.