2020-9-08

REDES & TELECOM

Redes como um serviço deverá crescer 41% na EMEA

Como resposta à pandemia, 32% dos gestores de IT na EMEA planeiam aumentar os seus investimentos baseados na cloud e 30% em networking com capacidades de inteligência artificial, enquanto procuram implementar infraestruturas automatizadas mais ágeis para ambientes de trabalho híbridos

Em resposta à pandemia, os gestores de IT na região da EMEA agora estão a investir mais em tecnologias de rede baseadas na cloud e em Inteligência Artificial (IA), como parte integrante dos seus planos de recuperação, de acordo com um estudo da Aruba, uma empresa da Hewlett Packard Enterprise.

As conclusões do novo relatório global “Preparar para o ambiente de trabalho pós-pandemia”  sugerem que os gestores de TI estão a responder aos desafios associados à capacitação de uma força de trabalho altamente distribuída e à tendência do local de trabalho híbrido - com os profissionais a terem mais necessidades de se movimentar de forma fluida entre o trabalho no escritório, em casa e em trânsito - procurando desenvolver as suas infraestruturas de rede e transitando de um modelo CapEx para soluções consumidas 'como-serviço'.

A adoção de serviços de TI consumidos através de modelos de subscrição vai acelerar em 41% ao longo dos próximos dois anos, sendo que a percentagem das empresas que adquirem a maioria das suas soluções de TI no modelo 'como-serviço' crescerá em aproximadamente 74% neste período.

De acordo com Morten Illum, vice-presidente da Aruba, uma empresa da Hewlett Packard Enterprise, para a EMEA, “o local de trabalho como o conhecíamos mudou significativamente e para cumprir as novas normas, como o distanciamento social e experiências sem contato, os escritórios precisam de contar com a tecnologia certa para oferecer conectividade, segurança e suporte de nível empresarial. E tudo isto enquanto atravessamos um ambiente financeiro cada vez mais desafiador, que está a estimular os decisores de TI a optar pelo risco reduzido e pelas vantagens de custo que um modelo de subscrição proporciona”.

O estudo, baseado numa consulta a 2.400 gestores de TI gestores de TI em mais de 20 países e oito setores-chave, analisou a forma como estes responsáveis responderam aos desafios que as suas empresas passaram a enfrentar por causa da COVID-19, bem como as decisões de investimento que estão a ser tomadas e os modelos de consumo a ser considerados.

Os responsáveis de TI reportam que o impacto da COVID-19 tem sido significativo tanto nos seus recursos humanos como nos investimentos de rede de curto prazo:

  • 20% descrevem o impacto sobre os seus colaboradores como "significativo" (layoffs ou despedimentos), enquanto 48% consideraram esse impacto "moderado" (reduções temporárias em algumas funções) e 23% "reduzido" (muito poucos empregos afetados);
  • Na EMEA, a Rússia (27%), os Emirados Árabes Unidos (25%), a Suécia e a França (ambos com 24%) tiveram a classificação mais elevada em termos de impacto "significativo", com a Espanha (13%) e a Holanda (15%) significativamente mais abaixo;
  • 74% afirmaram que os investimentos em projetos de rede foram adiados ou atrasados desde o início da crise pandémica e 30% indicaram que os projetos foram totalmente cancelados;
  • Os cancelamentos de projetos foram maiores na Suécia (59%) e menores na Itália (11%), mostrando que também há disparidades significativas entre países da mesma região, enquanto 37% dos gestores de TI dos sectores da educação e 35% da indústria hoteleira contam que tiveram que cancelar os seus projetos.

Em contraste, os planos futuros são agressivos, com a grande maioria dos gestores de TI a planear manter ou aumentar os seus investimentos em networking à luz da COVID-19, no âmbito da sua estratégia para dar suporte às novas necessidades de funcionários e clientes.

  • 38% dos gestores de TI planeiam aumentar os investimentos em networking baseado na cloud, com 45% a manifestar a intenção de manter o mesmo nível e 15% a reduzi-lo. A região APAC foi a líder global, com 45% dos responsáveis a declarar a intenção de realizar maiores investimentos em networking baseado na cloud, comparativamente com os 32% na EMEA. Com as soluções cloud que permitem a gestão remota da rede em grande escala, estes recursos são particularmente atrativos para as equipas de TI quando estar no local não é possível ou representa um desafio;
  • Os gestores de TI também procuram ferramentas melhoradas que permitam monitorizar e ter total visibilidade sobre a rede, com 34% dos gestores inquiridos a manifestar intenção de aumentar o seu investimento em análise, enquanto 48% indicam que o manterão nos mesmos níveis e 15% que o irão reduzir;
  • As conclusões do estudo apontam também para a crescente importância das tecnologias inovadoras que simplificam a vida das equipas de TI ao automatizar tarefas repetitivas: 35% dos responsáveis de TI planeiam aumentar os seus investimentos em tecnologias de rede baseadas em IA, com a região da APAC à frente com 44% e a EMEA e as Américas com 30%.

IT CHANNEL Nº 72 NOVEMBRO 2020

IT CHANNEL Nº 72 NOVEMBRO 2020

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.