Carlos Paulino, Managing Director da Equinix Portugal em 2019-5-20

REDES & TELECOM

Advertorial

O poder da interconexão, uma necessidade imperativa na era digital

A interconexão tornou-se o método de facto que as empresas utilizam para intercambiar elevados volumes de dados em tempo real com outras organizações, fornecedores e parceiros

A interconexão, entendida como um meio de troca de dados de forma direta, privada, segura e ultrarrápida, está na ordem do dia graças ao seu crescimento exponencial. A causa desta evolução está na digitalização massiva que as empresas estão a atravessar e no desejo de evitar riscos em termos de segurança, latência e congestionamentos causados pelo uso da Internet pública. 

Os estudos mais recentes comprovam esta ideia: no Volume 2 do Global Interconnection Index – um estudo de mercado anual publicado pela Equinix, que analisa o intercâmbio global de tráfego de dados – a largura de banda de interconexão deverá superar, em 2021, os 8.200 terabits por segundo (Tbps) ou o equivalente a 33 Zettabytes (ZB) de tráfego de dados por ano, um aumento dramático em relação à projeção do ano passado e representando quase 10 vezes o crescimento projetado do tráfego da Internet pública.

Isto representa uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 48%, quase o dobro do CAGR esperado (de 26%) do tráfego IP global. 

Neste contexto, a Equinix, devido ao seu compromisso com a interconexão e aos seus mais de vinte anos de experiência, posiciona-se como o parceiro de referência para todas as empresas que desejam modernizar os seus processos de negócios. 

A Platform Equinix®, composta por mais de 200 International Business Exchange™ IBX® data centers, distribuídos por 52 mercados em 5 continentes, permite que as empresas em todo o mundo se conectem de forma privada e direta com os seus clientes, prestadores de serviços Cloud ou outros parceiros, independentemente da sua localização geográfica. 

 


“Recorrendo à interconexão, as empresas evitam correr riscos em termos de segurança, latência e congestionamento”.

- Carlos Paulino, Managing Director da Equinix Portugal

 


 

A interconexão facilita o 5G, AI, IoT e blockchain 

A interconexão será o veículo que facilitará as novas tendências como o 5G, a Internet das Coisas, a Inteligência Artificial ou o Blockchain. Em 2019, o sucesso destas tecnologias dependerá fortemente da capacidade de interconexão das empresas. 

O 5G será a tecnologia chave para encarar com segurança um novo cenário dominado pela Internet das Coisas e pela Inteligência Artificial. Para tirar partido das capacidades do 5G, será crucial um forte investimento em infraestruturas móveis de vanguarda e na renovação das já existentes, bem como a otimização do desempenho e custos através do recurso a hardware de ponta. 

O modelo de arquitetura IA distribuída, que substituirá as arquiteturas centralizadas de primeira geração, explora de forma ideal as fontes de origem dos dados geridos pelas empresas no Digital Edge. Graças a esta tendência, as organizações podem aproveitar as inovações trazidas pela IA na Cloud pública, sem ficarem presas em uma única nuvem, descentralizando ainda mais a arquitetura de IA. 

Se falamos de Blockchain, a integração desta tecnologia no dia-a-dia das empresas exigirá a implementação de pontos de interconexão para as organizações. Em 2019, as empresas começarão a participar em múltiplas redes Blockchain, formando uma rede de redes que permitirá a interação com múltiplos ecossistemas de negócios diferentes. 

Por essa razão, o desempenho dessas cadeias de blocos tornar-se-á um requisito muito importante para satisfazer as sensíveis aplicações de Blockchain. 

Além disso, a interconexão assumir-se-á como a aliada perfeita das empresas na criação de novos serviços digitais e na migração das cargas de trabalho existentes para plataformas Cloud de terceiros, permitindo que as organizações enfrentem o próximo nível de desafios associados às abordagens híbridas e multicloud. 

Os desafios derivados desses modelos dependem de recursos como a segurança, análise e troca de dados, que podem ser suportados pelas novas soluções de interconexão. 

De acordo com o Global Interconnection Index, da Equinix, a largura de banda de interconexão entre as empresas e os provedores de TI e Cloud deverá aumentar 98% até 2021. 

 


“A Platform Equinix® possui mais de 200 data centers em 52 mercados e 5 continentes”.

- Carlos Paulino, Managing Director da Equinix Portugal

 


 

Portugal como um hub global 

Portugal está progressivamente a estabelecer-se como uma porta de entrada digital para o Atlântico. A sua localização é perfeita para conectar a Europa com a América do Norte, desbloqueando as rotas de dados entre os Estados Unidos e o Norte da Europa e com a América Latina e África, dois continentes que certamente desempenharão um papel essencial na economia digital global e que partilham fortes laços culturais e linguísticos com Portugal. 

Vários sistemas de cabos submarinos estão a chegar às costas portuguesas, alterando as rotas habituais entre os Estados Unidos e a Europa. O mais relevante no momento é o EllaLink, criado pelos governos do Brasil, Portugal e Espanha, que visa interligar uma série de cidades brasileiras com a Madeira, as Ilhas Canárias, Cabo Verde e a Península Ibérica. 

Este cabo, com 9.400 km, estende- se entre Praia Grande (São Paulo, Brasil) e Sines (Portugal), oferecendo uma capacidade de 48 Tb/s. 

Outro projeto interessante é o BREXIT-1, uma nova rota transatlântica e alternativa ao Reino Unido, que pretende unir os Estados Unidos à Europa através de Sesimbra. Nesta mesma cidade há também um nó do SeaMeWe-3, o cabo de telecomunicações submarino ótico mais longo do mundo, com 39.000 quilómetros de extensão, ligando o Sudeste Asiático, o Oriente Médio e a Europa Ocidental. 

A conectividade com África passa igualmente por Portugal. Por exemplo, o projeto Principal One liga Portugal à África do Sul através de várias conexões em diferentes países africanos. Além disso, o cabo de comunicações submarino ACE (Costa Africana para a Europa), que liga a França e a África do Sul através da costa oeste africana, também tem um nó em Carcavelos (Lisboa). 

E, em Sesimbra, existe também uma ligação ao WACS (Sistema de Cabo da África Ocidental), que liga a África do Sul e o Reino Unido. 

A Equinix Portugal está a acolher todos estes projetos de cabos submarinos. O nosso data center de Lisboa foi totalmente projetado para aumentar o volume de informações que estamos a receber de diferentes partes do mundo. 

A partir de Lisboa, fornecemos o acesso direto a cabos submarinos como o WACS (Sistema de Cablagem da África Ocidental), ACE (Costa Africana da Europa), Tata Global Network e Main One, entre outros. 

O nosso data center de Lisboa mostra-se, assim, ideal para as empresas que querem fazer uso destes novos projetos de cabos submarinos de uma forma eficiente e simples.

 


Sobre a Equinix

  • Mais de 200 data centers globais em 52 áreas metropolitanas, incluindo Lisboa

  • 9500+ clientes

  • 280.000 interconexões globais

  • Mais de 1700 operadores de rede

  • Mais de 2900 provedores de serviços de TI e nuvem (incluindo AWS, Microsoft Azure e Google Cloud)

 


 

Este conteúdo foi co-produzido pela MediaNext para a Equinix.

Recomendado pelos leitores

Sem fabricantes chineses, 5G na Europa custa mais 55 mil milhões
REDES & TELECOM

Sem fabricantes chineses, 5G na Europa custa mais 55 mil milhões

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 58 JUNHO 2019

IT CHANNEL Nº 58 JUNHO 2019

VER EDIÇÕES ANTERIORES

O nosso website usa cookies para garantir uma melhor experiência de utilização.