2017-8-10

NEGÓCIOS

Análise

Workday – Apostar no mercado português e levar o RH das empresas para a cloud

A norte-americana Workday é um dos "pesos pesados" do software de gestão de recursos humanos, disponibilizado cem por cento em cloud. O software vendor concorre com players como a SAP e a Oracle e está a apostar no mercado português

Gonzalo Benedit, president EMEA & APJ da Workday

Quando foi fundada, há 12 anos, em Silicon Valley, a Workday apresentou-se com a missão de proporcionar uma gestão otimizada do capital humano das empresas, num sistema que proporcionasse uma experiência seamless de utilização e que servisse uma melhor performance do negócio. Desde então, a empresa acrescentou algumas funcionalidades de ERP, como gestão financeira e aplicações para pagamentos.

Com o objetivo de ser uma empresa do futuro, a empresa apostou desde sempre numa plataforma cloud-based, totalmente configurável e adaptada às necessidades de cada cliente. Atualmente, a Worday conta com cerca de 2500 clientes em todo o mundo, entre os quais empresas como o Walmart, a Airbnb ou a Netflix, integrando o Quadrante Mágico de 2017 da Gartner para Cloud Core Financial Management Suites, e foi líder no Quadrante Mágico em 2016 para o Cloud HCM Suites for Midmarket and Large Enterprises.

“A Workday cresceu bastante nos últimos anos e hoje está entre os principais líderes do negócio de cloud”, afirma Gonzalo Benedit, president EMEA & APJ da Workday. A oferta da Workday concorre com a SAP e a Oracle. “Oferecemos uma solução diferenciadora no mercado”, realça. “Nascemos na cloud, enquanto os players tradicionais evoluíram para a cloud, e é aí que marcamos a diferença”.

Mercado português com caraterísticas apetecíveis

A Workday decidiu, há cerca de seis anos, expandir a sua influência e introduzir o seu portfólio de soluções cloud no mercado europeu. Portugal surge como uma escolha natural, uma vez que, tal como nos indicou Gonzalo Benedit, “já mais de 100 empresas utilizavam a plataforma em Portugal”, em áreas distintas como retalho, turismo ou o setor financeiro, na sua maioria subsidiárias de multinacionais.

O forte peso do setor terciário do mercado nacional e a internacionalização de muitas empresas portuguesas são as principais razões da aposta, em marcha desde meados do ano passado. “A nossa plataforma assenta totalmente num mercado onde predominam os serviços”, sublinha Gonzalo Benedit. “Já nos encontramos em fase de negociações com empresas bastante importantes em Portugal”, comenta Gonzalo Benedit, que se mostra otimista em relação à angariação de clientes no mercado português, com o especial desejo de conseguir chegar até às grandes empresas — “Queremos ser o líder de RH cloud em Portugal”, sublinha. A estratégia de crescimento contempla ainda a criação de uma equipa dedicada ao mercado português.

Oferta adaptada ao midmarket e corporate nacionais

As soluções da Workday estão desenhadas para simplificar e automatizar os processos das empresas, de modo a proporcionar uma maior produtividade e ganhos superiores. A oferta de recursos humanos tem a particularidade de fomentar um maior engagement com os colaboradores. Por serem cloud, as soluções dão aos colaboradores a possibilidade de estarem envolvidos em todos os processos da organização. “Os nossos clientes, tipicamente, são empresas que estão dispostas a transformar completamente a forma como gerem os seus recursos humanos”, refere Gonzalo Benedit. E

mbora revele que a sua proposta de valor consegue dar resposta principalmente às grandes empresas, por terem frequentemente operações internacionais com maior complexidade, a Workday conta também com soluções adaptadas às empresas com menos requisitos. “Para as empresas menores, dispomos de uma solução pré-configurada que leva menos tempo a implementar e com um leque de ferramentas menos alargado, para ser mais simples”, explica o responsável pela empresa na EMEA.

Preocupada em adaptar-se às novas gerações, extremamente exigentes e que privilegiam a mobilidade, a Workday disponibiliza as suas soluções numa versão mobile. “No passado, a interação dos colaboradores das organizações com as suas tecnologias era muito limitada, mas hoje os dispositivos móveis alteraram por completo esta relação”, comenta Gonzalo Benedit. Deste modo, através da app, os recursos humanos podem ser geridos remotamente, e todos os colaboradores poderão gerir os seus próprios projetos em qualquer local.

Recomendado pelos leitores

Quem é o Data Protection Officer?
NEGÓCIOS

Quem é o Data Protection Officer?

LER MAIS

Uma revolução chamada blockchain
NEGÓCIOS

Uma revolução chamada blockchain

LER MAIS

Paulo Rodrigues nomeado diretor-geral da GTI Portugal
NEGÓCIOS

Paulo Rodrigues nomeado diretor-geral da GTI Portugal

LER MAIS

IT CHANNEL Nº 39 julho 2017

IT CHANNEL Nº 39 julho 2017

VER EDIÇÕES ANTERIORES